Economia

Volume de serviços se recupera em maio, segundo levantamento do IBGE

Alta média ficou em 0,9%, no comparativo mensal; após expansão de 3,3% em quatro meses, setor está 8,4% acima do nível pré-pandemia

12/07/2022 12h09
Volume de serviços se recupera em maio, segundo levantamento do IBGE
Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

As atividades de serviços cresceram 0,9% em maio, de acordo com a Pesquisa Mensal dos Serviços divulgada nesta terça-feira (12), pelo IBGE. Em quatro meses (fevereiro a maio), setor acumula avanço de 3,3%. Em volume, os serviços se encontram 8,4% acima do nível pré-pandemia de Covid-19 (fevereiro de 2020). De acordo com o IBGE, está também 2,8% abaixo do ponto mais alto da série histórica.

Em maio, na série sem ajuste sazonal (frente a maio de 2021), o volume de serviços teve sua 15ª taxa positiva consecutiva (9,2%). O acumulado no ano chegou a 9,4%, enquanto no intervalo de 12 meses, a alta atinge 11,7%, com perda de ritmo pelo segundo mês consecutivo. Em março, o aumento no mesmo comparativo estava em 13,6%.

Na passagem de abril para maio deste ano, todas as cinco atividades pesquisadas recuperaram parte da retração de 2,5% verificada no mês anterior. O grupo informação e comunicação (0,9%), setor que emplacou o terceiro resultado positivo consecutivo, com ganho acumulado de 3,4%. Destaque também para outros serviços e serviços prestados às famílias, com avanços mensais de 3,1% e 1,9%.

*Bahia.ba

Comentários

Leia também

Economia
Caixa libera abono do PIS/Pasep para nascidos em janeiro

Caixa libera abono do PIS/Pasep para nascidos em janeiro

Calendário de pagamento segue mês de nascimento ou fim do Pasep
Economia
Serviços avançam 0,3% em dezembro e encerra 2023 com terceira alta anual seguida, diz IBGE

Serviços avançam 0,3% em dezembro e encerra 2023 com terceira alta anual seguida, diz IBGE

Resultado de dezembro foi segunda alta mensal consecutiva; na comparação mesmo mês de...
Economia
Dívida pública federal pode chegar a R$ 7,4 trilhões em 2024

Dívida pública federal pode chegar a R$ 7,4 trilhões em 2024

Governo criou um espaço para elevar levemente a fatia de títulos prefixados e aumentar...