Saúde

Vigilância Epidemiológica registra morte por leptospirose e desencadeia ações de prevenção e controle

A Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana registrou um caso de morte por leptospirose – doença transmitida pela urina do rato – no último dia 1°. Trata-se de um homem de 55 anos, morador do bairro Limoeiro, que contraiu a doença em casa. Ele apresentou os primeiros sintomas em 15 […]

22/03/2023 16h16
Vigilância Epidemiológica registra morte por leptospirose e desencadeia ações de prevenção e controle
Foto: Divulgação

A Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana registrou um caso de morte por leptospirose – doença transmitida pela urina do rato – no último dia 1°. Trata-se de um homem de 55 anos, morador do bairro Limoeiro, que contraiu a doença em casa. Ele apresentou os primeiros sintomas em 15 de fevereiro deste ano e faleceu no Hospital Instituto Couto Maia.

Ao ter conhecimento do caso, a equipe de saúde da Vigilância Epidemiológica realizou imediatamente a notificação e a investigação, adotou as medidas de prevenção e controle na residência do paciente, além do rastreamento de casos suspeitos na região.

Vale destacar que os casos são registrados conforme a ficha de notificação, atestado de óbito e resultado positivo do exame chegam à Vigilância.

Com o intuito de alertar a população sobre os riscos da leptospirose, os agentes de endemias visitaram as residências dos moradores do bairro do Limoeiro para realização de controle e prevenção.

A doença é causada pela bactéria leptospira, que usa alguns animais como hospedeiros, principalmente roedores, e é transmitida para os seres humanos pela exposição direta ou indireta à urina desses animais, comuns após contato prolongado com águas contaminadas.

“A presença dos ratos gera agravos e consequências da leptospirose. Para evitar o crescimento desta doença, intensificamos as ações de intervenção química para controle de roedores, aliada às atividades educativas com os moradores.”, afirmou Carlita Correia, coordenadora da Vigilância Epidemiológica.

A coordenadora também reforça a necessidade de a população fazer a própria parte para garantir a redução da infestação dos roedores na localidade.

“As pessoas devem manter os terrenos baldios limpos e capinados. Evitar entulhos e acúmulo de objetos nos quintais e nas telhas. São algumas ações simples, mas de grande importância para combater a leptospirose”, destacou.

*Secom PMFS

Comentários

Leia também

Saúde
Cardiologista esclarece quando se preocupar com arritmias cardíacas

Cardiologista esclarece quando se preocupar com arritmias cardíacas

Cardiologista ressalta a importância de valorizar os sintomas para evitar complicações...
Saúde
Julho Verde: mais de 70% dos casos tumores de cabeça e pescoço são diagnosticados em fase avançada

Julho Verde: mais de 70% dos casos tumores de cabeça e pescoço são diagnosticados em fase avançada

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), sete em cada dez casos são diagnosticados...
Saúde
Inverno aumenta os riscos de formação de cálculos renais, alerta especialista

Inverno aumenta os riscos de formação de cálculos renais, alerta especialista

A conscientização sobre a importância da ingestão adequada de líquidos, especialmente...