Feira de Santana

TDAH não tem cura, mas tratamento adequado pode diminuir sintomas

O transtorno é causado por uma alteração no funcionamento dos neurotransmissores (noradrenalina e dopamina) e divergências no lobo frontal do cérebro

23/06/2022 06h37
TDAH não tem cura, mas tratamento adequado pode diminuir sintomas
Foto: De Olho na Cidade

Conhecido pela sigla TDAH, o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade é um transtorno neurológico, influenciado pela genética, caracterizado por sintomas de inquietude, impulsividade e falta de atenção. Cerca de 5% da população mundial possui a síndrome.

Durante o programa Jornal do Meio Dia, da rádio Princesa Fm (96.9), apresentado por Jorge Biancchi, o tema foi explicado pelo mestre em psiquiatra, Dr. Rafael Silva. Segundo o doutor, o transtorno não inicia na vida adulta, sendo perceptível desde a infância.

“Uma das características do TDAH é que atividades que são altamente motivadoras faz com que esses indivíduos mantenham a atenção necessária”, explica o especialista.

Essa característica é conhecida como “Hiperfoco”, assim é comum que crianças consigam manter a concentração em jogos e brincadeiras, devido ao estimulo constante da dopamina, mas não conseguem realizar atividades que exigem maior esforço cognitivo, como as escolares.

O transtorno é causado por uma alteração no funcionamento dos neurotransmissores (noradrenalina e dopamina) e divergências no lobo frontal do cérebro, influenciando atividades relacionadas a planejamento e gestão. O diagnóstico é clínico, feito através de avaliação do histórico individual, observando a incidência dos três pilares principais: hiperatividade, desatenção e impulsividade.

A hiperatividade e a impulsividade são detectadas desde a infância, através da agitação dos indivíduos, impaciência, e dificuldade em permanecer parado; Desatenção é detectável pela dificuldade de foco, as pessoas desatentas costumam ser conhecidas por “viver no mundo da lua”.

O apoio familiar é importante para o encaminhamento positivo do tratamento, especialmente em caso de criança. A falta de suporte adequado pode atrasar o tratamento além de gerar traumas: “Muitas vezes reclamar ou bater não é a melhor forma de lidar com a questão. A criança é assim não porque ela quer, mas por conta de uma disfunção na região cerebral”, pontua o psiquiatra.

TDAH não tem cura, mas possui controle através de um tratamento multidisciplinar (com psicólogos, psiquiatras, pedagogos e psicopedagogos).

“Não falamos em cura, mas em remissão de sintomas, para que o individuo consiga dar conta das suas atividades diárias. A tendência é que ao longo da vida, por conta do amadurecimento da região frontal, eles melhorem esses sintomas”.

Comentários

Leia também

Abertas inscrições da oficina de capacitação para o público LGBTQIA+

Estão abertas as inscrições para a oficina de construção de currículo e orientação...
Feira de Santana
30 pacientes aguardam por regulação em Feira

30 pacientes aguardam por regulação em Feira

Em Feira de Santana, 30 pacientes estão em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e policlínicas...
Feira de Santana
Coelba remove cerca de 30 toneladas de fiação irregular em Feira de Santana em 2022

Coelba remove cerca de 30 toneladas de fiação irregular em Feira de Santana em 2022

Resultado é reflexo das inspeções e ações de ordenamento realizadas em todo o município...