Brasil

Senado aprova carteira profissional de radialista como prova de identidade

O projeto foi relatado pelo senador Rogério Carvalho (PT-SE)

19/05/2022 11h54
Senado aprova carteira profissional de radialista como prova de identidade
Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

O Plenário aprovou, nesta quarta-feira (18), o projeto de lei da Câmara (PLC 153/2017), que estende a todo o território nacional a validade da carteira profissional de radialista como prova de identidade. Relatada pelo senador Rogério Carvalho (PT-SE), a matéria sofreu alterações e volta para a análise dos deputados federais.

De acordo com o texto, a carteira deve ser emitida pelo sindicato da categoria. Não havendo sindicato na área de atuação do radialista, o documento pode ser editado por Federação credenciada e registrada no Ministério do Trabalho e Previdência.

O modelo da carteira deve ser aprovado pela Federação da categoria e trazer a inscrição “válida em todo o território nacional”. O profissional não sindicalizado também tem direito de receber a carteira de radialista, desde que seja habilitado e registrado no órgão regional do Ministério do Trabalho e Previdência.

O texto foi apresentado orginalmente pelo então deputado André Moura (SE) como projeto de lei (PL 458/2015). A matéria (PL 458/2015), na origem, foi aprovada na Câmara em 2017 e seguiu para o Senado. A proposição foi aprovada pelas Comissões de Assuntos Sociais (CAS); Ciência e Tecnologia (CCT); e Constituição e Justiça (CCJ).

Em 2020, o PLC 153/2017 chegou a ser pautado para votação no Plenário. Mas os senadores aprovaram um requerimento para o reexame nas Comissões depois da edição da Medida Provisória (MPV 905/2019). A proposição, que instituiu Contrato de Trabalho Verde e Amarelo, revogou dispositivos da Lei 6.615, de 1978, que regulamenta a profissão de radialista.

Após nova análise, as três Comissões votaram a aprovar o PLC 153/2017. O entendimento é que as mudanças previstas no projeto não foram afetadas pela MP 905/2019, que perdeu a validade em 2020.

Os senadores promoveram apenas duas mudanças no PLC 153/2017. O texto original previa que a carteira serviria como prova de identidade “para qualquer efeito”. No entendimento das Comissões, a expressão “estabeleceria preceito legal muito amplo e inadequado”. Outra mudança atualizou o nome do Ministério do Trabalho e Previdência. No texto original, a pasta era identificada apenas como Ministério do Trabalho.

Fonte: Agência Senado

Comentários

Leia também

Brasil
PRF ainda registra bloqueios de rodovias em ao menos sete estados

PRF ainda registra bloqueios de rodovias em ao menos sete estados

Interdições ocorrem em 73 pontos no país
Brasil
Caso Henry Borel: Mãe e padrasto da vítima vão a júri popular

Caso Henry Borel: Mãe e padrasto da vítima vão a júri popular

A decisão, no entanto, absolveu o casal da acusação de fraude processual e Monique de...
Brasil
Chega a 2.630 as urnas eletrônicas substituídas em todo país

Chega a 2.630 as urnas eletrônicas substituídas em todo país

TSE mobilizou cerca de 537 mil urnas eletrônicas em todo país