Educação

Projeto capacita educadores para trabalhar com literatura e produtos midiáticos em sala de aula

Projeto é gratuito e acontece no Centro de Cultura Amélio Amorim, em Feira de Santana

03/04/2023 17h18
Projeto capacita educadores para trabalhar com literatura e produtos midiáticos em sala de aula
Foto: Reprodução/Google Maps

Estão abertas as inscrições para o projeto “Ler a Tela, Ver o Texto: Oficina de Letramento Midiático”, que oferece oficinas gratuitas para capacitar educadores na análise formal de linguagens como quadrinhos, cinema e televisão, para que possam melhor trabalhar a adaptação de obras literárias clássicas para essas mídias em sala de aula. O projeto é direcionado a professores de português e literatura, formados ou estudantes de graduação ou pós em Letras, e pessoas de outras áreas com projetos em literatura ou contação de história.

O objetivo é ajudar os educadores a estimular em sala de aula o interesse e a curiosidade pela literatura através da conexão com a cultura midiática, contribuindo para uma melhor formação desses educadores na linguagem formal dessas mídias. As inscrições estão abertas até o dia 19 de abril, através do site https://www.leratelaverotexto.com/. Estão disponíveis cerca de 60 vagas.

Todas as aulas da oficina acontecem de forma presencial no Centro de Cultura Amélio Amorim (CCAAm), entre os dias 27 de abril e 12 de maio. Além das oficinas, o projeto conta com uma palestra aberta ao público conduzida por Alana El Fahl, professora de Literaturas Portuguesa e Brasileira da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), intitulada “Autoria e expressão individual no processo de adaptação literária”. A palestra acontece no dia 12 de abril, das 14h30 às 18h, também no CCAAm,

A iniciativa é capitaneada pelo professor João Araújo, Doutor em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia e membro do grupo de pesquisa em Análise de Teleficção (a-tevê). Natural de Feira de Santana, João conta que desde a adolescência adorava ler revistas em quadrinhos e assistir filmes e séries. Seu contato ficou ainda mais intenso ao pesquisar e entender toda a estrutura por trás de um produto midiático e reconhecer que o hobby da juventude pode também ser porta para uma carreira profissional.


“Hoje nos vemos imersos em uma cultura midiática na qual os jovens chegam à escola com uma imensa bagagem: games, filmes, séries, HQs, mídias sociais, e tudo o que há entre e além disso. Também cresce o número de livros adaptados para cinema e TV. Com esse projeto queremos aprofundar e difundir a linguagem que compõe o universo audiovisual e das HQs, para além da narrativa, analisando ângulos, colorização, layout de página, movimentos de câmera, edição e montagem, sonorização, cenários, figurinos e tudo o mais que constitui esses conteúdos”, destaca João, que também ministra as aulas das oficinas com a colaboração do professor Marcelo Lima.

O projeto se destaca ainda por seu potencial multiplicador. A ideia de formar professores se dá justamente para que possam trabalhar com essas ferramentas em sala de aula, incentivando nos alunos o gosto pela literatura a partir da aproximação com mídias com as quais tendem a se sentir mais à vontade e capacitando jovens para o mercado de trabalho.

Comentários

Leia também

Educação
Professores da rede estadual podem se inscrever para o Prêmio Educador Nota 10

Professores da rede estadual podem se inscrever para o Prêmio Educador Nota 10

As inscrições são gratuitas e seguem abertas até o dia 15 de junho
Educação
Universitários têm até esta quarta-feira (8) para se inscrever no ‘Mais Futuro’

Universitários têm até esta quarta-feira (8) para se inscrever no ‘Mais Futuro’

Inscrições são feitas de forma on-line no Portal da Educação
Educação
Contemplando mais de 300 estudantes, novas escolas foram entregues na Gabriela

Contemplando mais de 300 estudantes, novas escolas foram entregues na Gabriela

As unidades de ensino atenderão a educação infantil