Programa De Olho na Cidade

14/10/2021 - 12:00

Ex-Funcionários do Hospital de Campanha realizam manifestação reivindicando salário atrasado

Feira de Santana
Ex-Funcionários do Hospital de Campanha realizam manifestação reivindicando salário atrasado

Ex-funcionários que trabalhavam no Hospital de Campanha de Feira de Santana realizaram uma manifestação na manhã desta quinta-feira (13) em frente ao hospital para reivindicar o salário do mês de setembro que está atrasado. O Hospital de Campanha foi desmobilizado no dia 30 de setembro, devido a redução no número de pacientes hospitalizados.

Evine de Jesus, que prestou serviços ao Hospital como técnica de enfermagem disse que os funcionários não conseguem contato com a empresa para terem uma resposta sobre o salário atrasado.

“A gente tá reivindicando nosso salário, porque recebemos um aviso prévio até o dia 30 setembro, teve gente que ficou até o dia 06 de setembro e então terminou as atividades do hospital, a gente não soube o dia de receber dinheiro, ligamos para a empresa e ela não responde. A nossa rescisão ficou de sair, mas a gente quer saber é do nosso salário, fomos comunicados que a prefeitura não tinha feito o repasse para a empresa, todos nós somos pai e mãe de família, nos dedicamos aqui nesse hospital, demos a nossa vida e quando chega ao final a gente é tratado dessa forma.” Disse.

Alef de Lima, que trabalhava na portaria do Hospital contou que quando consegue contato com a empresa é informado de que eles estão aguardando um repasse da prefeitura.

“Toda vez que a gente consegue entrar em contato eles falam que não tem previsão de pagamento e que está esperando um repasse da prefeitura, mas a S3 como tem tantos anos no mercado, não é possível que uma empresa não tenha um caixa para fazer esse pagamento. Eles não deram nenhum prazo para pagamento, apenas disseram que a rescisão será paga até o dia 22, estamos aguardando, mas sobre o salário não tem nenhuma posição.” Contou.

Segundo o maqueiro Daniel Silva, são mais de 100 funcionários que estão aguardando um retorno a respeito da situação. “Desde o dia 30 o Hospital de Campanha fechou as portas e até agora a empresa não entrou em contato para acertar as pendências, são mais de 100 funcionários brigando pelos seus direitos. A empresa foi embora, fechou as portas e até agora não pagou o salário de setembro. Todos nós somos pais de família, corremos risco trabalhando na linha de frente da Covid-19, então se estamos aqui é porque precisamos e merecemos.” Afirmou.

De acordo com o secretário de saúde do município Marcelo Brito, não há nenhum tipo de atraso com a empresa responsável pelo pagamento dos funcionários.

“A prefeitura não tem nenhum tipo de atraso com essa empresa, eles nos mandaram uma nota fiscal referente ao último mês de trabalho, que seria setembro, com uma nota cheia, como se o hospital tivesse completamente lotado e o contrato é totalmente claro quando diz que quando o hospital não está lotado há um deflator a ser aplicado que pelas nossas contas é algo em torno de 1,2 milhão e essa empresa nos cobrou 3,5 milhões, então nesse momento pedimos a retificação da nota e quando ela chegar nós pagamos, agora temos dúvidas se um 1,2 milhão é suficiente para pagar os salários e a rescisão.”

Em entrevista ao portal De Olho na Cidade, o prefeito Colbert Martins informou que já está em contato com a empresa responsável para ver o que pode ser feito, mas que a prefeitura pagou tudo que deveria ser pago referente aos serviços prestados.

“O que precisa ser feito para ser concluído todo esse contrato vai ser feito para que ninguém tenha nenhum tipo de prejuízo, durante um ano e meio funcionou tudo muito bem e agora são os ajustes que precisam ser feitos na fase final para essas despensas de contratação. Não há nenhum tipo de débito da empresa com a prefeitura, faltam apenas algumas correções e complementações de pagamentos, mas isso é parte do processo de cuidados que temos que fazer sobre os pagamentos.” Disse.

Comentários

Leia também