Programa De Olho na Cidade

12/07/2021 - 09:10

Em greve, trabalhadores da Nestlé realizam mobilização nesta segunda-feira (12)

Momento Sindical
Em greve, trabalhadores da Nestlé realizam mobilização nesta segunda-feira (12)
Foto: Rafael Marques
Trabalhadores da Nestlé em Feira de Santana deflagraram greve nesta segunda-feira (12). O ato tem como objetivo mostrar a empresa que os funcionários não aceitam as novas propostas que pretendem tirar alguns dos seus benefícios. 
 
Ao portal De Olho na Cidade, o coordenador do SindiAlimentação, João Luiz Queiroz diz que nas últimas negociações a empresa vem apresentando propostas de retirada de direitos dos trabalhadores, o que causou um impasse entre empregados e empresa.
 
 
"A ideia é fazer com que a empresa venha para a mesa negociar, respeitando os trabalhadores. Estamos prontos pra negociar qualquer dia e qualquer hora". Ainda de acordo com João, todos estão buscando respeito e aguardam uma negociação em qualquer momento e hora. 
 
 
 
A secretária de Relações Comunitárias e Sociais do Sindalimentação, Ana Gabriela Xavier informou que as conversas com a firma foram iniciadas em maio deste ano. “Começamos a negociar em maio. Eles se mantém irredutíveis nas propostas, só trazem as que retiram direitos dos trabalhadores. O sindicato se colocou a disposição, por isso publicamos o edital de greve e esperamos os dez dias para que ela pudesse entrar em contato, mas não nos chamaram”. 
 
Ainda segundo Gabriela Xavier, mais de 50% dos empregados disseram sim a greve por meio de votação. “Fizemos um pleito e mais de 50% disse sim. Temos que respeitar a decisão dos trabalhadores e aguardar a empresa negociar. Eles querem manter a política de desvalorização, então só temos essa ferramenta que é a greve”. 
 
 
 
A presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Madalena Firmo destacou o apoio aos funcionários. “Só se instala uma greve quando os trabalhadores têm os seus direitos ameaçados. Não houve o entendimento da direção da Nestlé de atender as reivindicações do sindicato. Queremos que eles entendam que não dá para perder direitos neste momento de pandemia, em que as pessoas passam por várias dificuldades. Tanto esse sindicado como qualquer outro, terá o apoio da nossa Central”.
 
 

Comentários

Leia também