Programa De Olho na Cidade

09/06/2021 - 06:50

PSDB aprova regra de prévias para 2022; Doria ganha sobrevida

Política
PSDB aprova regra de prévias para 2022; Doria ganha sobrevida
A cúpula do PSDB aprovou por unanimidade as regras das prévias presidenciais do partido, que diferenciam o peso de filiados e políticos com mandato —mas deixou brechas para mudanças a serem votadas na semana que vem, o que mantém o jogo aberto e pode beneficiar João Doria (PSDB).
 
 
O adiamento da definição, contudo, foi visto como nova derrota do tucano em seu partido. O grupo de Doria acreditava ter maioria para emplacar, na reunião, alteração favorável ao governador paulista —o aumento do peso dos filiados— e defendeu que a votação fosse concluída nesta terça.
 
 
Os demais pré-candidatos, no entanto, quiseram adiar a questão. O tema foi a votação, e o adiamento foi aprovado. Os concorrentes internos de Doria são Eduardo Leite (RS), Arthur Virgílio (AM) e Tasso Jereissati (CE).
 
 
Pelas regras aprovadas, os filiados têm 25% do peso dos votos, e Doria quer ampliar a participação para ao menos 50% . Sua proposta inicial de voto universal, ou seja, todos os filiados com o mesmo peso, já foi enterrada pela comissão de prévias do PSDB na semana passada.
 
 
Aliados de Doria pressionam por maior peso dos filiados porque São Paulo concentra a maior fatia deles —cerca de 22% de 1,36 milhão, segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
 
 
Para tucanos próximos de Doria, o adiamento foi uma manobra para evitar a vitória do paulista. Mesmo tucanos não ligados ao governador admitem que o clima era favorável a ele e que a proposta de que os filiados representassem 50% dos votos poderia ser aprovada.
 
 
Outros membros do partido apontam, porém, que o fato de Doria ter perdido por ampla margem a votação sobre o adiamento demonstra que ele não teria maioria no colegiado. No último teste de força na executiva, em 2019, para deliberar sobre o processo de expulsão de Aécio Neves (PSDB-MG), a ala de Doria perdeu por 30 a 4.
 
 
Segundo tucanos ouvidos pela Folha, há uma ala disposta a fazer um aceno para Doria e ampliar a participação de filiados, mas para qual percentual é o que ainda gera debate. O presidente da sigla, Bruno Araújo, chegou a sugerir 35%, mas recuou.
 
 
Araújo designou que Virgílio articule a conversa entre os quatro candidatos para que haja um entendimento entre eles. Se não houver, a executiva nacional vota de qualquer forma, na próxima terça (15), as alterações propostas.
 
 

Comentários

Leia também