Programa De Olho na Cidade

04/05/2021 - 15:00

Obstetra questiona orientação da saúde sobre mulheres adiarem a gravidez

Saúde
Obstetra questiona orientação da saúde sobre mulheres adiarem a gravidez
O secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, Raphael Parente, pediu, no mês passado (04), que as mulheres adiem a gravidez até haver uma melhora da pandemia, se for possível.
 
"Caso possível, postergar um pouco a gravidez, para um melhor momento, em que você possa ter a sua gravidez de forma mais tranquila. A gente sabe que na época do zika, durante um, dois anos, se teve uma diminuição das gravidezes no Brasil, e depois aumentou. É normal. É óbvio que a gente não pode falar isso para alguém que tem 42, 43 anos, mas para uma mulher jovem, que pode escolher um pouco ali o seu momento de gravidez, o mais indicado agora é você esperar um pouquinho até a situação ficar um pouco mais calma", disse ao G1, o sec que é médico, que é médico e tem doutorado em ginecologia.
 
Parente justificou o pedido afirmando que a gravidez é, por definição, uma condição que favorece as tromboses – a formação de coágulos no sangue. A Covid-19 também favorece a ocorrência de tromboses, o que pode tornar a doença ainda mais perigosa na gravidez.
 
O Diretor médico do Hospital de Campanha de Feira de Santana, e ginecologista, Francisco Mota, conta que é uma decisão equivocada. 
 
“Eu considero que é uma decisão equivocada, tanto que o ministério fez essa determinação e logo em seguida inseriu as grávidas no plano de vacinação, então é uma decisão controversa”. Disse em entrevista ao Portal De Olho na Cidade
 
Dr. Francisco ainda frisa, que a vacinação não vai fazer com que todos não tenham a doença, mas que os vacinados apresentem a forma leve da doença. 
 
“Quando a paciente é jovem, até é possível que a paciente segure um pouco a gravidez. Mas uma paciente que não é jovem, está tentando engravidar tem um tempo, não é recomendado que ela adie essa gravidez”. Contou o ginecologista. 
 
O médico reitera que as mães que tiveram filho nos primeiros 45 dias devem ficar em isolamento, com o mínimo de contato possível, já que estão mais propícias a desenvolverem a forma grave da doença. 
 
Grávidas em grupos de risco devem se vacinar
 
A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Feira de Santana inseriu novos grupos na campanha de vacinação contra a Covid-19. Grávidas, puérperas e lactantes com comorbidades (maiores de 18 anos).
 
A vacinação inicia nesta terça-feira, 4, exclusivamente na UniFTC, avenida Artêmia Pires, com divisão de horários por data de nascimento. Das 8h às 12h serão vacinados aqueles que nasceram entre os meses de janeiro a junho. Das 13h às 17h os que nasceram nos últimos seis meses do ano.

Comentários

Leia também