Programa De Olho na Cidade

22/02/2021 - 16:39

Estamos nos preparando para o pior, afirma o prefeito de Feira de Santana

Coronavírus
Estamos nos preparando para o pior, afirma o prefeito de Feira de Santana
O prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins Filho, afirmou na tarde desta segunda (22) ao programa De Olho na Cidade, que esteve em constante diálogo com o governador Rui Costa na tarde deste domingo e que a situação da cidade colaborou bastante para a ampliação do decreto que foi antecipado para as 20h em todo o estado. 
 
"Ontem falei com o governador várias vezes durante o dia. Ao meio dia, quando Feira lotou o hospital de Campanha, avisei a ele e ele me retornou sugerindo as mudanças, nos falamos por diversas vezes pela tarde, e às 18h tinha uma enorme festa acontecendo, resolvemos antecipar, pois quinta tem jogo de novo e não queremos correr o risco. Temos apenas três vagas no hospital de campanha e infelizmente foram por óbitos, a situação é essa e temos 25 pessoas em leitos clínicos. Pelo que vejo, ainda vai persistir neste mês de fevereiro.", disse o prefeito. 
 
Colbert ainda afirmou que a culpa não foi apenas das pessoas, mas também de alguns bares, que assinaram um termo com a prefeitura e acabaram não cumprindo. "Tentamos algumas vezes evitar que isso acontecesse. Os bares assinaram conosco um termo de compromisso, mas muitos não conseguiram cumprir. Enquanto eles não entenderem que eles são parte importante, a situação só vai piorar. Quem viu a situação da São Domingos, da Lagoa Grande, sabe o que estou falando. A aglomeração está muito grande e neste momento o decreto não está afetando comércio e indústria e é a saída que temos.", contou. 
 
Quando questionado se exsite a possibilidade da abertura de novas vagas de UTI em Feira de Santana, Colbert disse que está neste momento em contato com o secretário Edval Gomes para encontrar uma solução. "Estou chegando na secretaria para conversar com o secretário para discutir a ampliação de UTIs e também nas policlínicas. Temos leitos de suportes nas upas e policlínicas e estamos nos preparando para o pior. O Clériston está totalmente lotado, a Fonte Nova será reaberta. Você precisa de médicos, enfermeiras, fisioterautas, não é simples, Feira é a única cidade que conta com um hospital de campanha. Não é fácil encontrar equipe, não é só instalar camas, a nossa rede privada também está lotada, e precisamos agora evitar a transmissão, a abertura de leitos tem limites e precisamos nos precaver. Cuide de você, da sua família e enquanto a vacina não chega, tome todos os cuidados possíveis.", concluiu. 


Comentários

Leia também