Programa De Olho na Cidade

26/11/2020 - 14:33

Bioquímico fala sobre a importância do PSA e os valores de referência

Novembro Azul
Bioquímico fala sobre a importância do PSA e os valores de referência

Quando o assunto é saúde do homem, é preciso falar sobre PSA: exame recomendado no rastreamento do câncer de próstata, de suma importância no diagnóstico precoce da doença, o que aumenta bastante as chances de cura. Portanto, é extremamente importante entender o que é esse exame, como ele é realizado e quais são as suas indicações.

O bioquímico Jazi Lobo, em entrevista ao Portal De Olho na Cidade, explicou a importância do exame para a saúde do homem.

“O PSA é recomendado fazer a partir dos 40 anos, depois dessa idade é recomendado que o homem realize o exame uma vez ao ano para entender qualquer alteração.”, explicou Jazi.

O PSA (Antígeno Prostático Específico) é uma proteína produzida pelas células prostáticas e glândulas periuretrais que tem como função a liquefação do fluído seminal. Embora presente em altas concentrações no líquido seminal, o PSA está presente em concentrações muito baixas na circulação sanguínea do homem saudável.

Jazi reiterou que nenhum exame substitui o toque retal, “O PSA ajuda na informação, mas não é especifico, para isso é preciso realizar o exame do toque em conjunto com o PSA.”.

A utilização do PSA como triagem para detecção da neoplasia maligna de próstata foi responsável pela mudança do perfil desta doença. Atualmente, a maioria dos pacientes que recebe esse diagnóstico tem doença localizada. O valor de corte do PSA, acima do qual deveríamos indicar biópsia, ainda é causa de debate. Baseados nos valores do PSA, nossos maiores desafios são: diagnosticar a doença nos pacientes portadores e separar os tumores clinicamente significativos daqueles com baixa agressividade biológica. Pacientes com PSA entre 4 a 10 ng/ml ou >10 ng/ml têm, respectivamente 30% e 62% de probabilidade de terem câncer de próstata.

Segundo Jazi, o PSA serve para que o paciente tenha uma noção de controle do próprio corpo, desta forma, o paciente pode fazer até o PSA, mas quanto mais o tempo passa, menos ele vai ficando específico, por isso o melhor diagnostico é o toque retal.



Comentários

Leia também