Programa De Olho na Cidade

26/07/2020 - 14:55

São Gonçalo dos Campos e a fé inabalável do seu povo

Reportagens Especiais
São Gonçalo dos Campos e a fé inabalável do seu povo

Sérgio Di Salles

No próximo dia 28, terça-feira, a nossa querida vizinha, São Gonçalo dos Campos, completa 136 anos de emancipação política. E o programa De Olho na Cidade vem promovendo uma série de entrevistas especiais, com personalidades da “cidade jardim”, que têm nos contado um pouco da história do município, dentro do projeto "São Gonçalo e sua história".

Conversamos com o padre José Augusto Nascimento, pároco da cidade, que chegou à São Gonçalo dos Campos em fevereiro de 2018 e desde então, vem realizando um grande trabalho de evangelização. Ele nos falou um pouco sobre a tradicional festa do padroeiro, que acontece em 10 de janeiro.

“A festa de janeiro é um marco na nossa história, é muito forte a devoção do povo, ela que já é tricentenária, desde o surgimento da imagem do santo, aqui nessa área, lá no século 18, foi criada a capelinha e de lá para cá, a devoção só cresce. Janeiro, a cidade respira os festejos. Já tive a graça de promover, de estar à frente como pároco por duas vezes, um ano melhor que o outro, e é sem dúvidas um momento muito bonito. Para a gente, enquanto pastor, é momento muito especial. Nós temos uma novena que é muito tradicional e até hoje preservada pelo povo, baseada na língua latina, o comportamento das pessoas nos remete aos princípios, à antiguidade, é um momento que procuramos palavras para descrever e não conseguimos”, disse o pároco.

Ainda segundo o padre José Augusto, o são gonçalense é sem dúvidas um povo de fé, não só no santo, mas como também na Terra e na cidade. “Sabe aquele sentimento de pertença, aquele bater no peito e sentir orgulho da cidade, do povo, da cultura? Eu vejo isso muito forte aqui. Os filhos daqui que estão fora, fazem questão de voltar e demonstrar isso, é uma coisa que vejo com muita alegria, é uma fé realmente inabalável”, contou.

O pároco também nos falou de como a igreja vem enfrentado a questão do isolamento social, com as igrejas fechadas e sem a presença dos fiéis nas celebrações. “Nós sentimos muito, como todos sentem o impactado da pandemia, mas temos atravessado este vale tenebroso. Vejo que as pessoas têm se alimentado de outras maneiras, aquela devoção que a gente manifesta no templo, é a mesma devoção que nos acompanha aonde quer que estejamos, então, eu tenho sentido que as pessoas mesmo de casa, elas estão conectadas conosco. Aqui na paróquia, temos a graça de ter a rádio São Gonçalo, que é a voz de Deus, é muito forte e muito presente a audiência do povo, e também estamos contando muito com a tecnologia. Temos conseguido através das redes sociais, nos comunicar, transmitir as celebrações, criar momentos de orações e estamos conseguido diminuir o sofrimento provocado pelo isolamento social, não está sendo fácil, mas não perdemos a fé, a esperança”, concluiu.

Comentários

Leia também