Programa De Olho na Cidade

25/03/2020 - 20:15

Zé Neto afirma que Bolsonaro fez um discurso oportunista e propõe saída para a economia

Política
Zé Neto afirma que Bolsonaro fez um discurso oportunista e propõe saída para a economia

Sérgio Di Salles

Em entrevista ao De Olho na Cidade, no início da noite desta quarta (25), o deputado federal Zé Neto, comentou as últimas declarações do presidente Jair Bolsonaro, principalmente em cadeia de rádio e TV. Neto teceu duras críticas. “No mínimo oportunista, com isso ele está lavando as mãos com a situação que estamos vivendo. Na hora que ele toma uma posição dessas, ele está dizendo, ‘Ó, vem aí uma crise econômica violenta, e eu não tenho nada com isso, eu fui contra o isolamento’. Não tomou uma medida contundente, o mundo todo está parado e o que se tem agora neste momento é uma crise econômica que vai ser maior que a de 29, o que se tem agora são dados concretos, e credores, quem quiser que espere dos Estados Unidos, pois eles vão no mínimo suspender pagamentos. Hoje o Banco Mundial e o próprio FMI, já reconheceram que os países pobres não poderão pagar as suas dívidas externas e não poderão fazer frente aos seus encargos e dívidas internas. ”, disse.

Segundo o deputado, se faz necessária a discussão de um novo plano político para o país, o que ele inclusive, já sugeriu aos poderes. “Hoje mesmo, dei entrada numa indicação para a Câmara Federal, para o Rodrigo e para o Alcolumbre para que nós possamos fazer um debate consistente esta semana que entra sobre a reformulação do plano econômico do Brasil, pois tem uma situação que é fiscal, que diz respeito a todo este aparato fiscal que está em torno do país, afinal 70% de tudo o que se arrecada no Brasil, vai para a União, então para uma situação como esta, de pandemia e risco gravíssimo de pessoas morrerem em massa, como já está acontecendo na Itália, na Espanha, na China e o próprio Estados Unidos agora devem ser a bola da vez e de repente o presidente da república do Brasil, que deveria ter ido para a televisão e dito “Ó, eu pago quase um trilhão de dívida interna, externa e encargos por ano, vou suspender estes pagamentos e vou dizer aos estados todos que não precisam entrar no Supremo”, como a Bahia entrou para suspender pagamentos, deveria fazer isso para salvar a nossa economia. “, afirmou.

 

Neto também comentou a situação do comércio, mais especificamente de Feira de Santana, que deve decidir em reunião com o prefeito Colbert Martins Filho em reunião na próxima sexta (27), se encerra ou continua a paralisação das atividades. “O comércio mesmo está sem rumo, o pontapé inicial quem tem que dar é o governo e fazer o que todos os países estão fazendo. Aqui no Brasil, ao invés do presidente tomar a frente e determinar um financiamento facilitado e não esse que apareceu aí, até agora mesmo de dinheiro novo, só tem 2 bi de reais, então não tem nada, ele fez aí um monte de fantasia, mas é quase a mesma coisa que nós tínhamos antes e aí ele diz que vai acelerar, quer dar R$ 200,00, que é pouco para as famílias carentes, tem duas semanas que disse isso, implementou nada. Está ruim para o setor empresarial, que não vai ter como pagar os seus impostos, salários e muito pior está para os trabalhadores, os informais, nem se fala, então eu digo com tranquilidade, estou muito ciente de que neste momento cabe ao Congresso, ao Senado e à Câmara, junto com os governadores que vão se reunir hoje pela noite pra que tenhamos uma condição e avançarmos com consistência numa mudança de rumo na política do Brasil. “, concluiu.

Comentários

Leia também