Bahia

Justiça obriga Chesf a assumir responsabilidades pelo desastre da Barragem da Pedra

Na ação civil pública, protocolada pela PGE-BA, em 30 de dezembro de 2022, ficou demonstrada a responsabilidade da Chesf no descontrole da vazão da barragem, o que provocou inundações em cadeia, com graves consequências no meio ambiente e na vida da população.

04/01/2023 12h17
Justiça obriga Chesf a assumir responsabilidades pelo desastre da Barragem da Pedra
Foto: Reprodução

A Procuradoria Geral do Estado da Bahia (PGE-BA) obteve, no Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJBA) desta terça-feira (3), decisão determinando à Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) a apresentação imediata de planos de segurança, de contingência e de recuperação das áreas afetadas pelo desastre decorrente das falhas na administração da Barragem da Pedra, na região do Município de Jequié.

Na ação civil pública, protocolada pela PGE-BA, em 30 de dezembro de 2022, ficou demonstrada a responsabilidade da Chesf no descontrole da vazão da barragem, o que provocou inundações em cadeia, com graves consequências no meio ambiente e na vida da população.

A PGE-BA também requereu a imediata prestação de auxílio emergencial e a constituição de um fundo não inferior a R$ 100 milhões, como forma de garantir a responsabilidade integral da Chesf pelos danos socioambientais e às pessoas afetadas pelo desastre. Estes pedidos serão apreciados a partir do dia 6 de janeiro de 2023, quando se encerra o Plantão Judiciário.

Apesar da reconhecida responsabilidade pelos fatos ocorridos, e de ter plena ciência sobre a ação judicial, a Chesf não adotou qualquer providência para mitigar ou reparar os danos.

Consequências

O Rio de Contas registrou uma das maiores cheias de sua história no dia 26 de dezembro de 2022. De acordo com a Chesf, o reservatório da Usina Hidroelétrica da Pedra, localizada em Jequié, teve afluência média de 3.100 metros cúbicos por segundo (m³/s) no dia 25 de dezembro.

Em três dias, o volume útil saltou de 65% para 93%. Por conta disso, as comportas precisaram ser abertas para evitar o transbordo total do rio. O procedimento, no entanto, causou alagamentos. As cidades de Jequié e Ipiaú foram as mais afetadas.

Segundo os dados da Chesf, a defluência, ou seja, volume de água liberado pela hidrelétrica, saltou de 95 m³/s no dia 22 de dezembro para 190 m³/s no dia 23. Já no sábado (24), a defluência média foi de 700 m³/s e no domingo chegou a 1.850 m³/s, com liberação superior a 2.000 m³/s em alguns momentos.

Comentários

Leia também

Bahia
Criança de 4 anos desce de van escolar e é atropelada em Conceição de Coité

Criança de 4 anos desce de van escolar e é atropelada em Conceição de Coité

Vítima está internada em hospital de Feira de Santana e funcionários foram afastados....
Bahia
Sesab intensifica ações após confirmação de 80 casos da Febre Oropouche

Sesab intensifica ações após confirmação de 80 casos da Febre Oropouche

Não existe tratamento específico para a Febre do Oropouche, sendo o manejo clínico focado...
Bahia
Nota técnica conjunta do MP e Tribunais de Contas orienta sobre contratações nos festejos juninos

Nota técnica conjunta do MP e Tribunais de Contas orienta sobre contratações nos festejos juninos

O documento foi assinado pelo procurador-geral de Justiça Pedro Maia e pelos presidentes...