Saúde

Julho traz campanha de conscientização e combate às hepatites

As hepatites ainda são pouco diagnosticadas e com grandes chances de se tornarem agudas e levarem à morte

05/07/2024 17h20
Julho traz campanha de conscientização e combate às hepatites

As hepatites são inflamações do fígado que podem ser causadas por diversos agentes, incluindo vírus, doenças autoimunes ou uso indiscriminado de álcool, medicamentos e outras drogas. O mês de julho é voltado à conscientização, alerta e combate dessas doenças, por meio da campanha Julho Amarelo. O diagnóstico precoce e o tratamento ainda são os melhores remédios para todas essas infecções que afetam milhares de pessoas em todo o mundo. Segundo o Ministério da Saúde, as hepatites são responsáveis por 1,4 milhões de mortes anualmente pelo mundo por conta de uma infecção aguda, câncer ou cirrose.

No Brasil, os vírus A, B e C são os mais comuns quando falamos em hepatites virais.O vírus D é mais comum na região norte e o E é o menos comum no país tropical, mas pode afetar mulheres grávidas com sérios riscos para a gestante e o bebê. As inflamações relacionadas com as Hepatites B e C são as menos diagnosticadas por não apresentarem sintomas claros no início da sua incidência e, por consequência, as que mais se tornam crônicas. A Hepatite A é transmitida pela ingestão de alimentos ou água contaminados com o vírus, enquanto a Hepatite B é propagada através do contato com sangue ou fluidos corporais infectados, sendo a vacinação a principal medida preventiva.

“A transmissão das hepatites depende exclusivamente de qual vírus estamos falando. Hepatites A e E são transmitidas principalmente pelas vias fecal e oral, enquanto hepatites B, C e D são transmitidas pelo contato com sangue ou fluidos corporais. Por mais que não tenhamos incidência dos tipos D e E na Bahia, a educação e informação sobre essas doenças são fundamentais e ainda a melhor prevenção que nós podemos ter”, informa o médico gastroenterologista Dr. Luiz Almeida.

Dr. Luiz ainda alerta para os tratamentos indicados para cada vírus.”A forma mais adequada para tratar dessas doenças é evitar o automedicamento. Diante de sintomas como enjoo, vômitos, cansaço, até a pele e olhos amarelados, o paciente deve procurar um centro de saúde e, posteriormente, um médico especializado para diagnóstico e exato tratamento da doença. Essa ação pode evitar o agravamento, possíveis transplantes ou até a morte do indivíduo”, completa o gastroenterologista que também compõe a equipe docente do curso de Medicina na Unex- Centro Universitário de Excelência de Feira de Santana.

Segundo o Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, entre os anos de 2011 a 2020, 15.126 casos de hepatites virais foram identificados no estado. A Hepatite B aparece com maior incidência com 42%, seguido da A com 10,9% e a C com 7,1%. Já o Boletim divulgado este ano (2024) apresenta significativas quedas nos números de óbito por agravo da doença. A Hepatite B se apresenta por 51,2% a mais em mulheres, já as A (51,4%) e C (58,0%) acometem mais o sexo masculino

Julho Amarelo

A campanha “Julho Amarelo” foi lançada para aumentar a conscientização sobre as hepatites virais, promovendo ações educativas e preventivas. O objetivo é informar a população sobre os riscos, incentivar a testagem e o diagnóstico precoce, facilitar o acesso aos tratamentos, promover a vacinação contra hepatites A e B, e combater o estigma e a discriminação contra as pessoas infectadas.

Comentários

Leia também

Saúde
Cardiologista esclarece quando se preocupar com arritmias cardíacas

Cardiologista esclarece quando se preocupar com arritmias cardíacas

Cardiologista ressalta a importância de valorizar os sintomas para evitar complicações...
Saúde
Julho Verde: mais de 70% dos casos tumores de cabeça e pescoço são diagnosticados em fase avançada

Julho Verde: mais de 70% dos casos tumores de cabeça e pescoço são diagnosticados em fase avançada

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), sete em cada dez casos são diagnosticados...
Saúde
Inverno aumenta os riscos de formação de cálculos renais, alerta especialista

Inverno aumenta os riscos de formação de cálculos renais, alerta especialista

A conscientização sobre a importância da ingestão adequada de líquidos, especialmente...