Política

Jeronimo tem 45,4%, contra 39% de ACM Neto, indica pesquisa AtlasIntel

Em terceiro lugar, João Roma (PL) com 8,7% das intenções de voto

01/10/2022 09h24
Jeronimo tem 45,4%, contra 39% de ACM Neto, indica pesquisa AtlasIntel
Foto: Divulgação/TV Band; Camila Souza/GOVBA

A Pesquisa AtlasIntel/A TARDE de definição do novo governador da Bahia, divulgada neste sábado (1), indicou que em relação à última rodada, no último dia 26, para o primeiro turno, não existe praticamente nenhuma mudança e aponta um possível resultado já no dia 2 de outubro.

Na corrida para os futuros governadores, o levantamento com 2 mil entrevistados, 400 a mais que da pesquisa anterior, mostra que o candidato Jerônimo Rodrigues (PT) segue na liderança com 45,4% das intenções de voto, 1,1 ponto a menos do que há uma semana.

Em segundo lugar, ficou ACM Neto (União Brasil), que recuou 0,6 ponto percentual e teve 39% da preferência do eleitorado.

Em terceiro lugar, João Roma (PL), com 8,7% das intenções de voto, 1,2 ponto abaixo, ante o último levantamento. Ao todo, os três candidatos perderam 2,9 pontos em menos de uma semana.

A pesquisa ouviu 2000 pessoas em 316 municípios baianos no período de 26 e 30 de setembro de 2022, com coleta via recrutamento digital aleatório (Atlas RDR). A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. O levantamento foi registrado no TSE sob o número BR-09479/2022. BA-03876/2022.

*Bahia.ba

Comentários

Leia também

Política
Lídice da Mata é escolhida nova vice-líder do Governo na Câmara

Lídice da Mata é escolhida nova vice-líder do Governo na Câmara

Escolha da parlamentar baiana se deu pela boa relação que possui com o presidente Lula...
Política
Governo adia por três meses portaria sobre trabalho aos feriados

Governo adia por três meses portaria sobre trabalho aos feriados

Ministério do Trabalho e setores não chegaram a acordo
Política
Comissão aprova imunidade tributária para entidades religiosas

Comissão aprova imunidade tributária para entidades religiosas

Benefício valerá também para partidos políticos e sindicatos