Economia

Inadimplência registra novo recorde e ultrapassa 60 mi, indica pesquisa

A cada dez brasileiros adultos, quatro estavam com o nome negativado em outubro de 2022

22/11/2022 15h15
Inadimplência registra novo recorde e ultrapassa 60 mi, indica pesquisa
Foto: Karolina Grabowska/Pexels

De dez brasileiros adultos, quatro estavam com o nome sujo em outubro deste ano, conforme levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

Segundo a pesquisa, são 64,87 milhões de pessoas, um novo recorde para a série histórica iniciada há oito anos.

No período houve um avanço de 1,06% no volume de consumidores com contas atrasadas em relação a setembro. A alta foi de 9,24% ante a outubro do ano passado

Na base interanual o avanço se concentrou no aumento da inclusão de devedores cujo tempo de inadimplência varia de 91 dias a 1 ano (30,19%).

A dívida por consumidor em outubro era em média de R$ 3.694,06. Os consumidores com dívidas de até R$ 500 eram 34,1%, contra 48,77% com dívidas de até R$ 1 mil.

De setembro para outubro deste ano, houve um avanço de 1,8% no número de dívidas no Brasil. Em relação a outubro de 2021, a alta foi 19,11%.

Entre os destaques estão as dívidas com os Bancos, com crescimento interanual de 31,82%, seguidas por Água e Luz (14,39%). Em contrapartida, houve queda nas dívidas em atraso de Comunicação (-12,63%) e Comércio (-0,39%).

Os Bancos são o setor credor com maior concentração de dívidas no País (61,34%), seguido por Comércio (12,67%), Comunicação (12,67%) e Água e Luz (10,89%).

*Bahia.ba

Comentários

Leia também

Economia
Americanas afasta toda a diretoria após investigação de escândalo contábil

Americanas afasta toda a diretoria após investigação de escândalo contábil

São alvo de investigações da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) sobre omissão...
Economia
Dólar cai para R$ 5,04 após BC sinalizar juros altos por mais tempo

Dólar cai para R$ 5,04 após BC sinalizar juros altos por mais tempo

Bolsa recua 1,42% após manutenção da taxa Selic
Economia
Dólar é negociado abaixo de R$ 5 pela primeira vez desde junho

Dólar é negociado abaixo de R$ 5 pela primeira vez desde junho

Recuo neste quinta é atribuído aos reflexos da Superquarta, quando o FED aumentou os...