Saúde

Hérnia de disco pode ser assintomática, alerta especialista 

“Felizmente hoje em dia o tratamento da hérnia de disco está menos invasivo que antes.

20/08/2022 06h40
Hérnia de disco pode ser assintomática, alerta especialista 

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 5 milhões de brasileiros sofrem com problemas de hérnia de disco. O problema acontece quando um disco, estrutura localizada entre as vértebras com função amortecedora, sai de sua posição natural, comprometendo os nervos do corpo e causando incômodos.  

Em entrevista ao De Olho na Cidade, o médico neurologista, Dr. Cleanto Lacerda, explicou que o esforço físico excessivo é o principal causador do problema. O incomodo mais frequente são as dores na região lombar, contudo, algumas pessoas podem não sentir alterações.

“Uma grande parte das hérnias são assintomáticas, apresentam poucos sintomas e tratamento simples. Inclusive, a maior parte dos pacientes são homens”, diz o doutor.

Cerca de metade das pessoas acima de 50 anos possuem alguma alteração no disco, sendo apenas 30% destas com sintomas detectáveis. O tratamento é simples, nem sempre sendo necessário intervenção cirúrgica, apenas medicamentoso e fisioterapia adequada.

Mesmo em casos onde a cirurgia é necessária, a medicina atual possui intervenções menos invasivas e arriscadas, sem limite de idade pré-estabelecido. Algumas vezes o procedimento é realizado apenas com sedação e anestesia local.

“Felizmente hoje em dia o tratamento da hérnia de disco está menos invasivo que antes. Já existem cirurgias que fazemos com cortes pequenos”, explica, desmistificando a crença de que processos cirúrgicos realizados na coluna levam à deficiências. Apenas em casos onde o paciente já possui algum outro problema prévio.

Além das dores nas costas, alterações de sensibilidade para coxa, perna e pé também são sentidas. É comum que a hérnia de disco seja confundida com a osteofitose, popularmente conhecida como “bico de papagaio”.

A formação do bico de papagaio ocorre a partir de um crescimento anormal das bordas de duas vértebras vizinhas, com o objetivo de manter a estabilidade da coluna, afetada pela degeneração dos discos, cartilagens e articulações.

Ambas as patologias surgem a partir de fatores semelhantes, como sedentarismo, má postura, obesidade, estresse, tabagismo, alcoolismo, lesões, inflamações, traumas ou fraturas anteriores na coluna.

O surgimento do problema pode ser evitado se o indivíduo se atentar à sua postura e frequência de atividades físicas. Para mais precaução e melhor cuidado, é recomendável procurar um profissional de fisioterapia, para que seja instruído o cuidado adequado para correção da postura e melhora da mobilidade corporal.

Comentários

Leia também

Saúde
Especialista afirma que homens resistem mais na hora de cuidar da saúde mental

Especialista afirma que homens resistem mais na hora de cuidar da saúde mental

A taxa de suicídio é maior entre homens. Fatores sociais e culturais podem estar relacionados....
Saúde
Meningite meningocócica pode levar à morte em 24 horas, alerta infectologista

Meningite meningocócica pode levar à morte em 24 horas, alerta infectologista

Doença pode ser prevenida por meio da vacinação
Saúde
Câncer-colorretal é o terceiro tipo de câncer mais comum entre homens

Câncer-colorretal é o terceiro tipo de câncer mais comum entre homens

Para melhor chance de cura é importante ter diagnóstico precoce