Mundo

Gustavo Petro comemora vitória na eleição presidencial colombiana

‘Colômbia muda com Petro e Francia’, afirmou o senador de esquerda do país vizinho, nas redes sociais

20/06/2022 10h17
Gustavo Petro comemora vitória na eleição presidencial colombiana
Foto: reprodução/ Twitter Gustavo Petro

Com 11,2 milhões de votos, o senador de esquerda Gustavo Petro foi oficializado no domingo (19) como presidente da Colômbia para o período 2023-26. O ex-prefeito da capital Bogotá teve 50,44% dos votos, contra 47,31% do empresário Rodolfo Hernández, no segundo turno das eleições. Pela primeira vez em duas décadas, a disputa não teve um nome ligado ao ex-presidente Álvaro Uribe.

“Colômbia muda com Petro e Francia”, comemorou nas redes sociais o novo presidente, citando a vice-presidente eleita, Francia Márquez Mina – primeira mulher e negra a ocupar o cargo no país. “Que se festeje a primeira vitória popular. Que tantos sofrimentos se amorteçam na alegria que hoje inunda o coração da pátria. Essa vitória para Deus e para o povo e sua história. Hoje é o dia das ruas e das praças”.

O atual presidente da Colômbia, Ivan Duque, telefonou para Gustavo Petro para parabenizá-lo pela vitória. “Liguei para @PetroGustavo para parabenizá-lo como presidente eleito dos colombianos. Concordamos em nos reunir nos próximos dias para iniciar uma transição harmoniosa, institucional e transparente”, escreveu o presidente no Twitter.

Francia Márquez Mina também agradeceu ao povo pelo resultado neste segundo turno. “Obrigada às colombianas e aos colombianos que saíram massivamente a votar hoje com dignidade, vencendo o medo e com esperança”. 

*CNN Brasil

Comentários

Leia também

Mundo
Presidente do Peru é preso após tentativa de dissolver Congresso

Presidente do Peru é preso após tentativa de dissolver Congresso

Castillo deixou o palácio de governo junto a sua esposa, Lilia Paredes, seus filhos e...
Mundo
Irã faz primeira execução de manifestante condenado à morte por protestos

Irã faz primeira execução de manifestante condenado à morte por protestos

País tem sido palco de protestos desde setembro, quando Mahsa Amini foi morta após, supostamente,...