Bahia

Formação de cartório único prejudica população e fere a lei, alerta presidente do Registro de Imóveis do Brasil

Proposta de unificação de cartórios será votada pelo Pleno do TJBA nesta quarta-feira (20)

20/07/2022 06h40
Formação de cartório único prejudica população e fere a lei, alerta presidente do Registro de Imóveis do Brasil
Foto: TJBA

“Formação de cartório único está fora da lei. Aprovar unificação com justificativa de melhoria no serviço é inconcebível. Hoje os baianos contam com especialidades. Com a aprovação do projeto, a população precisará resolver todas as demandas em um só cartório. Como isso será melhor? Trata-se de um retrocesso que fere a determinação do CNJ [Conselho Nacional de Justiça]”. É assim que explica o presidente do Registro de Imóveis do Brasil, Flaviano Galhardo, sobre como será prejudicial caso a proposta para unificação de cartórios seja aprovada pelo Pleno do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA). A votação acontece nesta quarta-feira (20), às 8h30, com transmissão ao vivo pelo portal do TJBA.

Com a aprovação da medida, 89% dos municípios baianos terão apenas um cartório para todos os serviços, desde certidão de nascimento, casamento até um registro de compra e venda de imóvel. Galhardo reforça, ainda, que a decisão é equivocada e vai piorar a qualidade dos Registros de Imóveis, que exigem alta especialização. Ele ressalta que “quem vai sofrer com isso será a própria população e a cadeia produtiva, tendo que lidar com registros falhos e notas descabidas”.

A Ordem dos Advogados do Brasil seção Bahia (OAB/BA) também se posicionou contra a unificação. “Lutamos pela especialização das Varas. Com a desjudicialização muitas questões são resolvidas no Cartório. Não podemos concordar com esse retrocesso. Já vivenciamos isso, à época do serviço estatizado. Estão querendo andar pra trás. O colégio de Presidentes já se manifestou contra esse prejuízo à sociedade e à classe dos advogados”, assevera o Conselheiro Estadual da OAB-BA por Eunápolis, Leonardo Maia.

A votação aconteceria no último dia 29, mas foi adiada. Na oportunidade, foi apresentada uma nova alternativa para o Tribunal. Na proposta o número de cartórios estaria diretamente relacionado a faixa populacional. Em municípios que têm abaixo de 11 mil habitantes aconteceria a implantação do ofício único. Nos municípios com faixa populacional de 11 a 50 mil habitantes teriam dois cartórios. Já em cidades que têm acima de 50 mil habitantes teriam três cartórios. Esta proposta prevê a permanência de 754 cartórios nos municípios baianos.

Comentários

Leia também

Bahia
São Gonçalo recebe premiação com o Concurso Sou + meu Frango em Maratona do SEBRAE

São Gonçalo recebe premiação com o Concurso Sou + meu Frango em Maratona do SEBRAE

Na 1ª etapa da maratona, o Concurso Sou + meu Frango concorreu com outros 40 projetos...
Bahia
Número de casos de Covid-19 aumentam em cidades do interior da Bahia

Número de casos de Covid-19 aumentam em cidades do interior da Bahia

No estado, 8.195 casos de Covid-19 encontram-se ativos, segundo o último boletim epidemiológico...