Cultura

Felipe Guerra e a paixão pela sanfona: Uma vida dedicada ao forró tradicional

Apesar do amor precoce, Felipe só começou a dominar o instrumento na juventude.

26/05/2024 06h41
Felipe Guerra e a paixão pela sanfona: Uma vida dedicada ao forró tradicional

Felipe Guerra, cantor e sanfoneiro, compartilhou sua jornada musical com entusiasmo e um profundo amor pelo forró. Desde a infância, Felipe encontrou na sanfona sua verdadeira paixão.

Apesar do amor precoce, Felipe só começou a dominar o instrumento na juventude.

“Dominar a gente tenta, mas é um trabalho, já começa pesando treze quilos. Então a gente labuta a vida inteira pra poder domar um pouquinho,” responde. Ele começou a tocar a sanfona aos vinte anos e logo estava se apresentando. “Na segunda semana eu já fui tocar de verdade mesmo no forró que teve lá na UEFS. Não foi muito bom o som não, mas saiu,” recorda.

A parceria com o médico Israel Reis resultou na criação da banda Zabumba de Cana. A banda, formada é dedicada ao forró tradicional.

“Hoje em dia tem muita banda aí que diz que toca forró e não toca forró de jeito nenhum. Toca outra coisa.”

Felipe Guerra observa uma mudança no público do forró. “Eu tenho observado isso, mas eu vejo cada vez mais o forró conquistando o público no sudeste, conquistando o público até no sul, em outras regiões do Brasil, com mais força do que aqui,” comenta ele, notando que o forró tradicional tem ganhado adeptos fora do Nordeste. No entanto, ele lamenta que o forró seja muitas vezes confundido com outros estilos musicais. “Hoje por exemplo nós temos grandes bandas que tocam com outros estilos musicais e chamam de forró. Elas usam esse termo e pra mim o forró ele tem que ter triângulo, forró tem que ter zabumba, tem que ter sanfona e sobretudo a poesia,” afirma.

A música é a vida de Felipe Guerra, e ele expressa gratidão pela oportunidade de tocar e ver o público dançar.

“Hoje é muito importante lembrar que tem uma galera o movimento da dança aqui em Feira que pense num movimento bonito cara quando a gente está tocando e vê a galera dançando curtindo,” diz ele. “Eu queria saber dançar daquele jeito, mas Deus me presenteou tocando. Então eu toco, povo dança e todo mundo feliz.”

Comentários

Leia também

Cultura
Congresso de três dias promete boas notícias

Congresso de três dias promete boas notícias

O evento será realizado em mais de 500 idiomas em todo o mundo.
Cultura
Série sobre Jesus Cristo será lançada nos congressos de 2024 das Testemunhas de Jeová

Série sobre Jesus Cristo será lançada nos congressos de 2024 das Testemunhas de Jeová

Com produção totalmente voluntária, a série foi filmada na Austrália e em Israel e...
Cultura
Djalma Ferreira lança single no clima junino

Djalma Ferreira lança single no clima junino

‘Saudade Doida’ estar disponível nos sites SuaMusica e Palco MP3, no canal do cantor...