Feira de Santana

Eremita Mota é contra retirada da vidraça do plenário da Câmara

A matéria já existe, de autoria do vereador Sílvio Dias (PT), em tramitação na Comissão de Constituição e Justiça

24/10/2022 17h04
Eremita Mota é contra retirada da vidraça do plenário da Câmara
Foto: Mario Neto / ASCOM-CMFS

A futura presidente da Câmara, Eremita Mota (PSDB), deverá posicionar-se contra a retirada da vidraça instalada no plenário, proposta defendida pelo atual dirigente da Casa, Fernando Torres (PSD), que poderá coloca-la em votação nos próximos dias. A matéria já existe, de autoria do vereador Sílvio Dias (PT), em tramitação na Comissão de Constituição e Justiça. Na sessão legislativa anterior, quando o dirigente provocou um debate ao anunciar o desejo de pôr em votação um projeto com esta finalidade, ela deu a entender não compartilhar da ideia, afirmando que “pior (do que a vidraça) é ter que chamar o policiamento”, para conter eventuais manifestações violentas nas galerias.

Eremita lembra que, no passado, antes de haver a proteção, a Polícia Militar era acionada com frequência, para conter manifestantes que ameaçavam a integridade dos vereadores durante a discussão de projetos polêmicos. Também contrário à proposta, o vereador José Carneiro (MDB), reconhece, no entanto, a atitude do atual. dirigente e seu antecessor, em propor o debate, visto que, pelo Regimento do Legislativo, “não precisaria (pôr o assunto em discussão), pois a Presidência tem o poder de decidir”. Um dos decanos da Câmara, acredita que se não fosse o vidro, colegas seus em legislaturas passadas, como Marialvo Barreto e Getúlio Barbosa, teriam sido atingidos por objetos lançados contra vereadores.

Do seu ponto de vista, é importante discutir e votar agora, quando se aproxima a posse da nova Mesa Diretora pois, se Fernando decidisse, por conta própria, correria o risco de a futura presidente Eremita Mota ter outro pensamento e, simplesmente, assim que assumisse, recolocasse o equipamento, também por medida administrativa. Com decisão da maioria, e por lei, “ela não teria essa atitude”, entende José Carneiro. Paulão do Caldeirão (PSC) considera “retrocesso”, o plenário sem essa proteção. “Já arremessaram sapato e cadeira. Alguém pode entrar armado e a ausência da vidraça vai causar insegurança”, adverte. Também vê o barulho que acontece nas galerias como prejudicial aos trabalhos.

Galeguinho SPA (PSB), igualmente, não crê na “necessidade de modificar”. Edvaldo Lima (MDB) diz que quando chegou à Câmara (ele cumpre o terceiro mandato) tinha o “entendimento de retirar” o vidro do plenário, mas hoje pensa diferente. “É uma proteção. Não estou aleijado por causa dessa vidraça. Ao defender a família e seus valores, fui agredido por ativistas gays, nas galerias, e este equipamento impediu que eu fosse encurralado”, relata.

*Ascom CMFS

Comentários

Leia também

Feira de Santana
Vereador propõe projeto de mudança de local da Micareta

Vereador propõe projeto de mudança de local da Micareta

Projeto de Lei para alteração do local foi adiado para realização de audiência pública ...
Feira de Santana
Prefeitura inicia revitalização da lagoa Antônio Dias, no Limoeiro

Prefeitura inicia revitalização da lagoa Antônio Dias, no Limoeiro

A iniciativa é da Prefeitura de Feira de Santana em parceria com a empresa japonesa fabricante...
Feira de Santana
5ª Feira de Gastronomia e Artesanato do Feiraguay começa nesta quarta

5ª Feira de Gastronomia e Artesanato do Feiraguay começa nesta quarta

Sabores e talentos locais se encontram no evento, na Praça Presidente Médici, de 5 a...