Saúde

“É impossível adolescentes terem sono saudável com escola às 7h”, afirma neuropsicóloga 

A discussão tem sido impulsionada por vários profissionais da saúde

18/02/2023 16h43
“É impossível adolescentes terem sono saudável com escola às 7h”, afirma neuropsicóloga 
Insônia, quarentena, pandemia, coronavírus, covid 19

Foto: Marcello Casal Jr

Em julho de 2022, entrou em vigor no estado da Califórnia, nos Estados Unidos, a primeira lei do país que obriga as escolas a começarem as aulas para os adolescentes apenas a partir das 8h30. A decisão foi baseada em estudos que comprovam que o sono influencia diretamente na aprendizagem ao consolidar memórias e estimular a cognição.

Uma dessas pesquisas foi dirigida pela Associação Americana para o Avanço da Ciência, que analisou a movimentação de escolas do distrito norte-americano de Seattle, e constatou que o nível de aprendizagem e produtividade dos alunos que começam a rotina de estudos depois das 8h30 são superiores ao que iniciam às 7h.

Aqui no Brasil, a discussão tem sido impulsionada por muitos profissionais da saúde. Em entrevista ao Saúde e Bem Estar, quadro do Jornal do Meio Dia (Princesa FM – 96,9), a neuropsicóloga Ana Rita e o psicólogo Marcos de Araújo, trouxeram os impactos causados na vida dos estudantes.

“Fernando Lousada, para sua tese de doutorado, realizou uma experiência e foi comprovado que principalmente os adolescentes, precisam de um tempo maior de sono. Então eles precisariam no mínimo de nove horas de sono para que tivessem uma vida saudável e também ter seu aprendizado garantido”

De acordo com o especialista, Marcos Araújo, o grande problema é que as escolas começam muito cedo e os jovens e as crianças dormem muito tarde, para driblar esse problema é necessário colocar em pauta e criar espaços de discussões.

“O propósito é colocar o assunto em pauta nos espaços de discussões como este, para que os nossos ouvintes tenham conhecimento. Uma rotina como essa, a criança não tem proveito, já que precisa acordar um pouco mais cedo e se preparar. A gente parte do ponto que o desempenho vai ser abaixo, o humor dessa criança, as relações interpessoais não são bem trabalhadas, então a gente espera que a partir dos estudos possam ser replicados para a nossa realidade e que possam surgir políticas públicas”, pontua o psicólogo.

Comentários

Leia também

Saúde
Cardiologista esclarece quando se preocupar com arritmias cardíacas

Cardiologista esclarece quando se preocupar com arritmias cardíacas

Cardiologista ressalta a importância de valorizar os sintomas para evitar complicações...
Saúde
Julho Verde: mais de 70% dos casos tumores de cabeça e pescoço são diagnosticados em fase avançada

Julho Verde: mais de 70% dos casos tumores de cabeça e pescoço são diagnosticados em fase avançada

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), sete em cada dez casos são diagnosticados...
Saúde
Inverno aumenta os riscos de formação de cálculos renais, alerta especialista

Inverno aumenta os riscos de formação de cálculos renais, alerta especialista

A conscientização sobre a importância da ingestão adequada de líquidos, especialmente...