Feira de Santana

Denúncias sobre abuso sexual infantil na internet batem recorde

De acordo com a organização não-governamental SaferNet, foram contabilizadas quase 72 mil denúncias desse tipo

22/05/2024 09h44
Denúncias sobre abuso sexual infantil na internet batem recorde
Foto: Pixabay

O Brasil bateu recorde no número de denúncias sobre a veiculação de materiais de abuso sexual infantil na internet no ano passado. De acordo com a organização não-governamental SaferNet, foram contabilizadas quase 72 mil denúncias desse tipo, superando a marca histórica de 2008, quando foram registradas mais de 56 mil.

A psicóloga Bianca Orrico atribui o aumento dessas denúncias a três fatores principais: a introdução da inteligência artificial, a proliferação da venda de pacotes digitais com imagens de nudez e as demissões em massa anunciadas pelas Big Techs. Essas medidas, segundo a psicóloga, são essenciais para proteger crianças e adolescentes dos aliciadores online que frequentam as plataformas mais acessadas.

Ela enfatiza a importância do diálogo entre pais e filhos para combater esse problema.

“É crucial mostrar como a intimidade da criança não deve ser invadida por ninguém. Mesmo que pareçam amigos ou pessoas boas nas conversas da internet, é muito importante que as crianças aprendam a proteger seus dados e imagem”, afirmou. Ela acrescenta que esse diálogo deve incluir noções básicas de segurança e privacidade, como bloquear contatos indesejados, denunciar perfis e refletir sobre boas escolhas online.

O advogado Pedro Mendes, que atua em defesa dos direitos das crianças, destaca a necessidade de uma vigilância compartilhada entre pais, plataformas de internet e a sociedade para evitar a violência virtual.

“As plataformas são desenvolvidas com um modelo de negócios focado no direcionamento de conteúdo e publicidades, o que não é sustentável para a proteção infantil. É crucial que essas empresas tomem ações ativas para promover os direitos de crianças e adolescentes no ambiente digital”, declarou.

Pedro Mendes reforça que a responsabilidade não deve recair apenas sobre as famílias.

“Devemos conscientizar as famílias, mas não culpabilizá-las. É uma responsabilidade compartilhada entre o Estado, as empresas e a sociedade como um todo.”

Além da proteção prevista pela Constituição Federal, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) define medidas de proteção à imagem, à integridade física, psíquica e moral das crianças, inclusive no ambiente digital. Essas diretrizes são fundamentais para garantir um ambiente online seguro para os jovens brasileiros.

Comentários

Leia também

Feira de Santana
Vereador propõe projeto de mudança de local da Micareta

Vereador propõe projeto de mudança de local da Micareta

Projeto de Lei para alteração do local foi adiado para realização de audiência pública ...
Feira de Santana
Prefeitura inicia revitalização da lagoa Antônio Dias, no Limoeiro

Prefeitura inicia revitalização da lagoa Antônio Dias, no Limoeiro

A iniciativa é da Prefeitura de Feira de Santana em parceria com a empresa japonesa fabricante...
Feira de Santana
5ª Feira de Gastronomia e Artesanato do Feiraguay começa nesta quarta

5ª Feira de Gastronomia e Artesanato do Feiraguay começa nesta quarta

Sabores e talentos locais se encontram no evento, na Praça Presidente Médici, de 5 a...