Economia

Cooperativismo financeiro cresce na Bahia, diz especialista

O cooperativismo tem o propósito de conectar pessoas para promover justiça financeira e prosperidade

28/11/2022 06h34
Cooperativismo financeiro cresce na Bahia, diz especialista
Foto: RF Studio/Pexels

2021 foi um ano positivo para o crescimento do cooperativismo financeiro, registrando alta de 13% no Brasil, e com destaque para o estado baiano, que registrou crescimento de 18%. Ao De Olho na Cidade, a presidente do Conselho Administrativo do Sicoob Coperi, Vandalva Lima, destacou a importância do cooperativismo financeiro para o cenário econômico. explicou o que levou ao aumento do cooperativismo financeiro no Brasil.

“Esse crescimento se deve, sobretudo, ao cooperativismo se colocar a serviço das soluções, para, por exemplo, incluir financeiramente pessoas que não conseguem inclusão nas instituições tradicionais. O cooperativismo está mais próximo da população, o que dá mais oportunidade de crescer”, diz a diretora em entrevista ao De Olho na Cidade.

Segundo a presidente, a Bahia cresceu ainda mais que o restante, em número de cooperados, operações e negócios realizados. Para a profissional, essa expansão se deve ao propósito cooperativista de conectar pessoas para promover justiça financeira e prosperidade. Tudo feito de forma mais humanizada.

“As pessoas escolhem uma instituição financeira que seja mais que uma instituição. É sobre ter um parceiro para o seu negócio, ter uma solução para suas necessidades, e isso tem dado ao cooperativismo um ‘plus’ de crescimento muito grande na Bahia e no Brasil”.

De acordo com o gerente da Agência Sicoob Feira, Cássio Boaventura, são diversas vantagens em buscar créditos em uma cooperativa.

“O cooperativismo já é um modelo de negócios secular, e mesmo em um país que cinco bancos dominam 85% do mercado financeiro, nós temos um nicho específico para as cooperativas, que se aproveitam justamente dessa oportunidade de poder oferecer crédito em média 10% a 15% mais barato do que o mercado tradicional bancário”, salienta o gerente.

Nesse sentido, segundo o gerente Boaventura, não surgem dívidas com as instituições tradicionais. Assim, o indivíduo pode ter acesso a benefícios já conhecidos, mas com tarifas e taxas mais em conta.

“”Todo ‘portfólio’ que uma instituição tradicional oferta, nós também ofertamos: cartão de crédito, cheque especial, capital de giro, financiamento de carro, financiamento de equipamento. Trabalhamos com as linhas da FAMPE, uma parceria nossa com o Sebrae, também trabalhamos com PRONAMPE, e mais. É uma série de oportunidades.”, pontua, destacando que o lucro não é o objetivo final da cooperativa.

A admissão para o cooperativismo financeiro é livre, ou seja, qualquer pessoa, seja jurídica ou física, pode fazer parte. Para ser admitido, o interessado deve procurar a Agência Sicoob e verificar o que deve ser feito, baseado nas demandas específicas de cada um.

Comentários

Leia também

Economia
CGU aponta que INSS pagou R$ 193 milhões a 17 mil mortos entre 2019 e 2023

CGU aponta que INSS pagou R$ 193 milhões a 17 mil mortos entre 2019 e 2023

Segundo auditoria, foi observado um crescimento de pagamentos feitos pelo INSS a beneficiários...
Economia
Criação de empregos acumula alta de 33% no primeiro trimestre de 2024

Criação de empregos acumula alta de 33% no primeiro trimestre de 2024

Dados foram divulgados pelo Ministério do Trabalho
Economia
Economista explica o que muda para o consumidor com a reforma tributária sobre o consumo

Economista explica o que muda para o consumidor com a reforma tributária sobre o consumo

O projeto trata dos dois novos tributos instituídos: a Contribuição sobre Bens e Serviços...