Bahia

Com ampla vantagem de Lula, Ciro e Bolsonaro têm dificuldade de conquistar espaço na Bahia

Os outros candidatos não pontuaram. Brancos e nulos somaram 4%, já os que ainda não sabem, 2%

22/09/2022 16h30
Com ampla vantagem de Lula, Ciro e Bolsonaro têm dificuldade de conquistar espaço na Bahia
Foto: Divulgação/ Ricardo Stuckert/Marcello Casal Jr/Agência Brasil/Metropress

Contratada pela Rádio Metropole e divulgada na quarta-feira, a terceira edição da pesquisa Datafolha mostra um cenário de estabilidade e ampla vantagem nas intenções de voto dos baianos para presidente da República. Somando 62% das intenções de voto no estado, o ex-presidente Lula (PT) segue na liderança, com 42 pontos percentuais (pp) à frente do presidente Jair Bolsonaro (PL), que tem 20%.

Comparado ao levantamento anterior, divulgado no dia 14, Lula e Bolsonaro permaneceram com os mesmos índices. Ciro Gomes (PDT) também não oscilou, mantendo 7%. Os números são os mesmos para Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (UNIÃO), que permaneceram com 3% e 1% respectivamente. Os outros candidatos não pontuaram. Brancos e nulos somaram 4%, já os que ainda não sabem, 2%.

O terceiro lugar de Ciro Gomes mostra que nem mesmo a escolha de Ana Paula Matos (PDT), vice-prefeita de Salvador, foi suficiente para fazer a candidatura do pedetista ganhar volume no estado. Em 2018, Ciro teve 9% dos votos baianos, o que mostra uma estabilidade de lá para cá, levando em consideração a margem de erro de 3 pp do levantamento Datafolha.

A vantagem de Lula confirma o estado como um berço petista. Entre os quatro maiores colégios eleitorais do país, a Bahia é onde o ex-presidente tem maior vantagem. Em São Paulo e Minas Gerais, o Datafolha apontou Lula com 43% das intenções de voto e uma diferença de 10 pp frente aos 33% de Bolsonaro. Já no Rio de Janeiro, o candidato do PT tem, segundo o instituto, 44%, enquanto o atual presidente aparece com 36%.

Desde as eleições de 2002, os candidatos à Presidência pelo PT têm uma grande vantagem no estado. O menor desempenho foi do próprio Lula, no primeiro turno de 2002, quanto ele teve 55% dos votos na Bahia. Ainda assim, na época, a diferença para o segundo colocado foi de quase 40 pp.

Tentando a reeleição em 2006, o petista chegou a 78% no segundo turno. A ex-presidente Dilma Rousseff tem um desempenho semelhante e estável: em 2010 e 2014, ela teve respectivamente 62% e 70% no primeiro e segundo turno dos dois anos. Nas últimas Eleições Gerais, Fernando Haddad chegou a 73% no segundo turno.

A expectativa dos aliados de Lula é que ele cresça ainda mais no estado até o dia 2 de outubro. Amigo pessoal e correligionário, o senador Jaques Wagner chegou a declarar, em entrevista à Rádio Metropole, que o resultado do ex-presidente na Bahia será o melhor desempenho da história política dele.

Do outro lado, os aliados de Bolsonaro esperavam que o presidente crescesse na Bahia, sobretudo por conta do Auxílio Brasil, já que o estado é o que tem o maior número de beneficiários no país. Os números, no entanto, mostram que o presidente pode ter um desempenho inferior ao de 2018, quando chegou a 27% no segundo turno.

*Jornal da Metrópole

Comentários

Leia também

Bahia
Sesab intensifica ações após confirmação de 80 casos da Febre Oropouche

Sesab intensifica ações após confirmação de 80 casos da Febre Oropouche

Não existe tratamento específico para a Febre do Oropouche, sendo o manejo clínico focado...
Bahia
Nota técnica conjunta do MP e Tribunais de Contas orienta sobre contratações nos festejos juninos

Nota técnica conjunta do MP e Tribunais de Contas orienta sobre contratações nos festejos juninos

O documento foi assinado pelo procurador-geral de Justiça Pedro Maia e pelos presidentes...
Bahia
Bahia tem 269 municípios em epidemia de Dengue

Bahia tem 269 municípios em epidemia de Dengue

A Bahia possui uma taxa de letalidade de 2,7%, menor do que a média nacional. Ao todo,...