Feira de Santana

Cesta básica em Feira sobe em junho e acumula alta de 11,85% no ano

A cesta básica em Feira de Santana subiu 3,94% em junho, chegando a R$ 521,25

07/07/2022 12h02
Cesta básica em Feira sobe em junho e acumula alta de 11,85% no ano
Foto: Geraldo Bubniak/AEN

A cesta básica em Feira de Santana subiu 3,94% em junho, chegando a R$ 521,25. No ano, a cesta básica acumulou alta de 11,85%. Nos últimos 12 meses, o incremento foi de 23,56%, em consonância com a elevação dos preços dos alimentos observada em todo o Brasil. De acordo com o IBGE, em 12 meses, a alta acumulada do IPCA-15 em junho foi de 12,04%, sendo que no grupo de alimentos e bebidas o aumento foi de 13,84%.

Segundo os professores e alunos do curso de Ciências Econômicas da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) ligados ao Programa “Conhecendo a Economia Feirense: custo da cesta básica e indicadores socioeconômicos”, dos doze produtos que compõem a cesta, nove tiveram seus preços majorados. As maiores elevações dos preços médios foram verificadas para o leite (19,48%), o tomate (13,04%) e o feijão (11,95%). As únicas reduções de preços observadas foram da carne (-2,43%), da banana-prata (-1,91%) e da farinha (-0,94%).

No último trimestre (abril a junho de 22), o aumento da cesta foi de 2,04%, sobressaindo as elevações nos seguintes produtos: leite (29,49%); feijão (27,8%) e pão (10,76%). Por outro lado, destacam-se as quedas nos preços do tomate (-13,73%) e da banana (-8,89%). Já no acumulado de 12 meses (junho/21 a junho/22), a cesta básica registrou incremento de 23,56%, passando de R$ 421,85 para R$ 521,25. Nesse período, à exceção do arroz, que teve redução de 8,84%, os demais produtos que compõem a cesta apresentaram aumento nos seus preços, com destaque para o café (71,86%); tomate (64,27%); banana (36,68%) e óleo de soja (35,07%).

O almoço do feirense, normalmente constituído de arroz, feijão e carne, correspondeu a 36,86% do valor da cesta básica de junho, percentual inferior ao observado em maio 38,03%. Essa redução deveu-se à queda no preço da carne (-2,43%). Já o café da manhã tradicional, que reúne pão, manteiga, café e leite, representou 30,87% do custo da cesta – percentual um pouco mais elevado que o verificado no mês anterior, de 30,22%. Vale notar que todos os quatro alimentos que compõem o café da manhã tiveram elevação nos preços, com destaque para o leite (19,46%).

No que se refere ao salário mínimo líquido vigente (salário mínimo descontado a previdência), o valor da cesta básica comprometeu 46,49% do ganho do trabalhador em junho. Trata-se de um comprometimento de 2,17 pontos percentuais a mais que o calculado em maio(44,73%), refletindo o incremento observado no valor da cesta básica e a consequente perda do poder de compra do trabalhador. Em relação ao tempo de trabalho gasto para a compra dos produtos da cesta, constata-se um dispêndio de 102 horas e 17 minutos, aumentando o tempo de trabalho em aproximadamente 04 horas para adquirir a cesta em relação ao observado em maio.

Comentários

Leia também

Feira de Santana
Especialista explica mudanças no auxílio doença  e na perícia médica do INSS

Especialista explica mudanças no auxílio doença e na perícia médica do INSS

A nova determinação do Ministério do Trabalho e Previdência garante que, caso a perícia...
Feira de Santana
Comércio de Feira funciona até às 17h nesta véspera do Dia dos Pais

Comércio de Feira funciona até às 17h nesta véspera do Dia dos Pais

Shoppings centers também funcionam em horário especial
Feira de Santana
Novo piso salarial dos agentes comunitários e de endemias é sancionado pelo prefeito

Novo piso salarial dos agentes comunitários e de endemias é sancionado pelo prefeito

O piso salarial será pago aos servidores que cumprem jornada de 40 horas semanais