Feira de Santana

Centro de Referência à Mulher acolheu 230 vítimas de violência no primeiro semestre

Esse número ainda é considerado pequeno quando comparado à realidade

04/08/2022 12h15
Centro de Referência à Mulher acolheu 230 vítimas de violência no primeiro semestre
Foto: ACM

Os dados ainda são alarmantes e desafiam as autoridades. Todos os dias mulheres procuram a delegacia especializada para prestar queixa contra maridos, companheiros ou um parente que lhe agrediu. Um ato cruel que não escolhe idade, cor e nem tampouco a classe social.

Somente no primeiro semestre deste ano, o Centro de Referência à Mulher Maria Quitéria (CRMQ), órgão da Prefeitura de Feira, acolheu a 230 vítimas de agressões. Esse número ainda é considerado pequeno quando comparado à realidade. Nem todas elas conseguem romper o silêncio.

Em situação de violência doméstica elas encontram no CRMQ o apoio psicológico e moral para superar o trauma. Os atendimentos são por demanda espontânea ou através de encaminhamentos por medidas protetivas. E vale destacar: são sigilosos.

Conforme a coordenadora do equipamento municipal Ivone Nobre, a demanda reprimida é atribuída ao medo em denunciar e ao julgamento da própria sociedade, além da dependência financeira e emocional do suposto agressor. “Isso é uma barreira que impede que elas procurem o acolhimento e façam o registro da ocorrência”.

Neste mês de luta contra a violência às mulheres, considerado Agosto Lilás, Ivone Nobre aconselha que todas as mulheres que se sentirem ameaçadas procurem os órgãos especializados. A violência é classificada como psicológica, física, patrimonial, moral e sexual.

“A mulher que estiver em situação de violência e que ainda esteja se sentindo insegura em romper esse ciclo pode procurar o CRMQ onde há uma equipe multiprofissional para acolhê-la e acompanhá-la. Aqui elas terão o apoio e assistência para ter sua autoestima fortalecida”, afirma a coordenadora.

O CRMQ funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, inclusive ao meio-dia. No equipamento elas também têm acesso a cursos profissionalizantes e de defesa pessoal, atendimento social, psicológico e jurídico, além de oficinas terapêuticas. O CRMQ está localizado na rua Domingos Barbosa de Araújo, nº 495, bairro Kalilândia.

AGOSTO LILÁS

A campanha Agosto Lilás foi criada como parte da luta representada pela Lei Maria da Penha, sancionada em 7 de agosto de 2006, para combater e inibir os casos de violência contra a mulher e assegurar a proteção dos seus direitos.

Em Feira, a Secretaria Extraordinária de Políticas para as Mulheres vai realizar nesse período rodas de conversas nos CRAS e CREAS, ações itinerantes na zona rural com orientação e atendimento individual (psicossocial e jurídico) – inicialmente será levado a Bonfim de Feira dia 19. No dia 28 haverá panfletagem no estacionamento da Prefeitura.

*Secom

Comentários

Leia também

Feira de Santana
Prefeitura inicia revitalização da lagoa Antônio Dias, no Limoeiro

Prefeitura inicia revitalização da lagoa Antônio Dias, no Limoeiro

A iniciativa é da Prefeitura de Feira de Santana em parceria com a empresa japonesa fabricante...
Feira de Santana
5ª Feira de Gastronomia e Artesanato do Feiraguay iniciada nesta quarta

5ª Feira de Gastronomia e Artesanato do Feiraguay iniciada nesta quarta

Sabores e talentos locais se encontram no evento, na Praça Presidente Médici, de 5 a...
Feira de Santana
Construtores de Feira de Santana apresentam demandas do segmento a José Ronaldo

Construtores de Feira de Santana apresentam demandas do segmento a José Ronaldo

A categoria busca Soluções para dificuldades no parcelamento de solo e liberação de...