Política

Capellli anuncia fim da intervenção federal no DF nesta terça: ‘missão foi cumprida’

Durante 23 dias, o Governo Federal esteve no comando da capital da República

31/01/2023 07h59
Capellli anuncia fim da intervenção federal no DF nesta terça: ‘missão foi cumprida’
Marcelo Carvalho / Agência Brasil

Conforme o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e escolhido como interventor pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), foi responsável por “reorganizar” a Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP-DF) após os atos de 8 de janeiro, escolhido como interventor pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), responsável por “reorganizar” a Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP-DF) após os atos de 8 de janeiro, ocasião em que os Três Poderes foram invadidos, esta terça-feira (31) será o último dia do período de intervenção federal na segurança pública do Distrito Federal.

Durante 23 dias, o Governo Federal esteve no comando da capital da República. A partir de quarta-feira (1º/2), o controle voltará ao GDF — no mesmo dia em que deputados e senadores serão empossados e o Supremo Tribunal Federal (STF) retomará os trabalhos na Corte.

Ao Metrópoles, Cappelli avaliou que a função da intervenção foi “totalmente cumprida”. Durante o período em que esteve na chefia, ele também substituiu comandos da SSP e liderou a operação responsável por prender os vândalos que estavam no dia do golpe e no acampamento bolsonarista no QG do Exército em Brasília.

Cappelli atuou ainda no planejamento de segurança para grandes eventos da capital, como o jogo entre Flamengo e Palmeiras e a posse dos deputados e senadores. Constantemente, o interventor repetia a frase: “a Lei será cumprida”.

No decorrer dos 23 dias, ele trabalhou ao lado da vice-governadora do DF, Celina Leão (PP), já que o governador Ibaneis Rocha (MDB) foi afastado do cargo por decisão do ministro do STF Alexandre de Moraes.

No tempo em que Cappelli esteve no comando, Moraes determinou a prisão do ex-secretário de Segurança Pública do DF Anderson Torres e do ex-comandante da Polícia Militar (PMDF) Fábio Augusto Vieira. Mais de 900 participantes dos atos de vandalismo também foram presos e, agora, aguardam o andamento do processo no STF.

Ibaneis, Torres, Fábio e Fernando de Sousa Oliveira, ex-número dois da SSP e que estava no comando da pasta no dia 8, são investigados em inquéritos separados. A Polícia Federal cumpriu mandatos de busca e apreensão em endereços ligados aos três. A medida, autorizada por Alexandre de Moraes, foi solicitada pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

O governador reeleito pelo DF segue afastado até, pelo menos, abril. Já Torres deve depor à Polícia Federal, pela segunda vez, nesta quinta-feira (2), no 4ª Batalhão da PM. Na primeira vez, o ex-secretário ficou em silêncio, alegando que os advogados ainda não tinham tido acesso ao processo.

Fábio Augusto também segue preso. Em depoimento, ele disse que o Exército Brasileiro impediu a ação dos PMs para conter os extremistas durante os atos antidemocráticos de 8 de janeiro. Segundo o coronel, o Exército, a todo momento, “discordou da operação”. A defesa do ex-comandante já entrou com três pedidos de revogação da prisão preventiva.

Nos últimos dias, o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública entregou um relatório ao ministro da Justiça Flávio Dino, no qual apontou os principais “erros” que levaram aos atos de 8 de janeiro — quando extremistas invadiram e depredaram as sedes dos Três Poderes. Em sua análise, por exemplo, o então comandante da PM perdeu o controle das tropas e que os batalhões da segurança da capital federal não foram acionados para conter o avanço dos extremistas.

*Bahia.ba

Comentários

Leia também

Política
Fabya Reis é confirmada pré-candidata a vice na chapa de Geraldo Jr.

Fabya Reis é confirmada pré-candidata a vice na chapa de Geraldo Jr.

Anúncio aconteceu em evento no início da tarde desta quarta-feira (5)
Política
Arimateia denuncia falta de quórum na Comissão de Meio Ambiente

Arimateia denuncia falta de quórum na Comissão de Meio Ambiente

Conforme relatou, ‘os trabalhos não têm andado.’
Política
STF forma maioria para confirma decisão de Zanin que suspendeu liminar contra desoneração

STF forma maioria para confirma decisão de Zanin que suspendeu liminar contra desoneração

Prazo dado por Zanin foi para a efetivação de acordo entre governo e Congresso sobre...