Política

Candidatura de Roma é jogo de compadres para beneficiar Neto, diz Kleber Rosa

“Caso ocorra segundo turno no Brasil, ele [ACM Neto], com certeza, irá apoiar Jair Bolsonaro”, afirmou o pré-candidato ao governo da Bahia

27/05/2022 10h43
Candidatura de Roma é jogo de compadres para beneficiar Neto, diz Kleber Rosa
Foto: Divulgação Ascom PSOL

Durante entrevista ao programa Cidade em Pauta da rádio Nordeste FM, de Feira de Santana, nesta sexta-feira (27), o pré-candidato ao Governo da Bahia pelo PSOL, Kleber Rosa, destacou que a candidatura de João Roma (PL) ao Palácio de Ondina faz parte de um ” jogo de compadres” que beneficia ACM Neto (União Brasil). Para o psolista, a pré-candidatura de Roma tem como objetivo “mascarar” a relação entre o ex-prefeito de Salvador e o presidente Jair Bolsonaro (PL).

“ACM Neto está tentando utilizar uma máscara de uma possível imparcialidade diante da disputa eleitoral em âmbito nacional mas todos nós sabemos que, caso ocorra segundo turno no Brasil, ele, com certeza, irá apoiar Jair Bolsonaro. Ele está tentando enganar os baianos utilizando um discurso de que não possui candidato à presidência. Ele apoiou Bolsonaro nas eleições de 2018 e irá apoiar novamente caso Lula não seja eleito no primeiro turno”, sugeriu Kleber Rosa.

Rosa afirmou ainda que o carlismo flerta com o bolsonarismo e com todas as mazelas sociais que “Bolsonaro defende e representa”.

Comentários

Leia também

Política
Tabata Amaral é nomeada para equipe de transição de Lula

Tabata Amaral é nomeada para equipe de transição de Lula

Nomeação da parlamentar para a equipe foi publicada no Diário Oficial da União de terça...
Política
Comissão aprova texto preliminar do Orçamento de 2023

Comissão aprova texto preliminar do Orçamento de 2023

Projeções de receitas e despesas totalizam R$ 5,2 trilhões
Política
PT, PV, PCdoB e PSB oficializam apoio à reeleição de Arthur Lira como presidente da Câmara

PT, PV, PCdoB e PSB oficializam apoio à reeleição de Arthur Lira como presidente da Câmara

A eleição para presidência da Casa será no início de fevereiro