Feira de Santana

Brasil registra explosão de casos de dengue e pode terminar 2022 com recorde de mortes

Caso realmente se confirmem as estimativas, este ano será o mais mortal para a dengue no Brasil

14/12/2022 07h56
Brasil registra explosão de casos de dengue e pode terminar 2022 com recorde de mortes
Foto: Reprodução

O Brasil registrou 978 mortes por dengue em 2022. Até o dia 5 de dezembro, a taxa já supera o verificado em cada um dos últimos seis anos. O número é um alerta para uma nova epidemia da doença que deve se manter nos primeiros meses de 2023.

Caso realmente se confirmem as estimativas, este ano será o mais mortal para a dengue no Brasil, podendo ultrapassar 1 mil, algo nunca visto desde a década de 1980, quando a doença ‘ressurgiu’ no país e começou a ser mais frequente, com ciclos de maior e menor intensidade.

“A gente nunca passou dos mil mortos e com certeza vai passar”, projeta o infectologista Alexandre Naime Barbosa, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).De acordo com o médico, nos últimos anos, as maiores epidemias de dengue no Brasil aconteceram em 2015, 2016 e 2019, além de 2022, que já garantiu o lugar nessa lista antes mesmo de terminar.

Os dados parciais apontam para 1,4 milhão de casos prováveis de dengue no Brasil em 2022, segundo o boletim do Ministério da Saúde – em todo o ano de 2021, 544 mil foram infectados.

Com informações do g1.

Comentários

Leia também

Feira de Santana
IPAC firma parceria para restauro do painel de Lênio Braga na rodoviária de Feira

IPAC firma parceria para restauro do painel de Lênio Braga na rodoviária de Feira

Acordo foi firmado com a empresa que administra a rodoviária de Feira de Santana
Feira de Santana
Prefeitura convoca carroceiros para cadastramento

Prefeitura convoca carroceiros para cadastramento

O não comparecimento incidirá em multa e apreensão do veículo de tração animal
Feira de Santana
Casamento Coletivo com inscrições abertas até sexta-feira

Casamento Coletivo com inscrições abertas até sexta-feira

Casais héteros e LGBTQIAPN+ podem participar da iniciativa