Política

Brasil e Alemanha assinam acordos para cooperação energética e inovação

Lula destacou em declaração a imprensa que a parceria foi adotada para uma transformação ecológica e socialmente justa

05/12/2023 07h44
Brasil e Alemanha assinam acordos para cooperação energética e inovação
Foto: Ricardo Stuckert/PR

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o primeiro-ministro alemão, Olaf Scholz, assinaram nesta segunda-feira (4) uma declaração conjunta de intenções durante a 2ª Reunião de Consultas Intergovernamentair de Alto Nível, em Berlim, na Alemanha.

O documento engloba intrumentos de cooperação em áreas como meio ambiente e mudança climática, agricultura, bioeconomia, energia, saúde, ciência, tecnologia e inovação, desenvolvimento global, integridade da informação e combate à desinformação.

Lula destacou em declaração a imprensa que a parceria foi adotada para uma transformação ecológica e socialmente justa, com o intuito de reforçar a robusta cooperação na área ambiental que inclui o Fundo Amazônia. Já o chanceler Olaf Scholz reforçou que o país europeu vai lançar projetos para contribuir com a meta brasileira de alcançar o desmatamento zero até 2030.

*Metro 1

Comentários

Leia também

Política
STF forma maioria para tornar réus ex-integrantes da cúpula da PMDF pelo 8 de Janeiro

STF forma maioria para tornar réus ex-integrantes da cúpula da PMDF pelo 8 de Janeiro

Em agosto de 2023, os integrantes foram presos preventivamente por determinação do ministro...
Política
Durante viagem ao Egito, Lula deve discutir guerra entre Israel e Hamas e assinar acordo na área de bioenergia, diz Itamaraty

Durante viagem ao Egito, Lula deve discutir guerra entre Israel e Hamas e assinar acordo na área de bioenergia, diz Itamaraty

Presidente embarcou nesta terça-feira (13) em direção ao Cairo, capital do Egito
Política
Alvo da PF, Bolsonaro só deve ser convocado para prestar depoimento no segundo semestre

Alvo da PF, Bolsonaro só deve ser convocado para prestar depoimento no segundo semestre

Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, deve depor até março