Bahia

Bahia tem 13 casos suspeitos de varíola dos macacos

A pasta acrescentou que todos os casos em investigação estão cumprindo medidas de isolamento e as pessoas próximas a eles estão sendo monitoradas

22/07/2022 09h36
Bahia tem 13 casos suspeitos de varíola dos macacos
Foto: Divulgação

A Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) atualizou, na noite de quinta-feira (21), o número de casos em investigação de varíola dos macacos. O estado tem 13 casos suspeitos. Cinco deles em Salvador, dois em Santo Antônio de Jesus, um em Camaçari, Camamu, Ilhéus e Porto Seguro. 

A pasta acrescentou que todos os casos em investigação estão cumprindo medidas de isolamento e as pessoas próximas a eles estão sendo monitoradas. 

A Bahia já tem três casos confirmados da varíola dos macacos. Todos são moradores de Salvador. O primeiro registro foi no dia 13 de junho, o segundo em 14 de junho e o terceiro nesta quarta-feira (20). 

Monkeypox é uma zoonose viral, do gênero Orthopoxvirus, da família Poxviridae, que se assemelha à varíola humana, erradicada em 1980. A doença cursa com febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, adenomegalia, calafrios e exaustão.

A infecção é autolimitada com sintomas que duram de 2 a 4 semanas, podendo ser dividida em dois períodos: invasão, que dura entre 0 e 5 dias, com febre, cefaleia, mialgia, dor das costas e astenia intensa. A erupção cutânea começa entre 1 e 3 dias após o aparecimento da febre e tem características clínicas semelhantes com varicela ou sífilis, com diferença na evolução uniforme das lesões.

Comentários

Leia também

Bahia
Entre o período de 8h às 14h, 26 urnas eletrônicas foram substituídas no estado da Bahia

Entre o período de 8h às 14h, 26 urnas eletrônicas foram substituídas no estado da Bahia

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) os números ainda estão considerados...
Bahia
PRE: Apesar do fluxo de veículos, estradas de Santo Antônio estão tranquilas para locomoção

PRE: Apesar do fluxo de veículos, estradas de Santo Antônio estão tranquilas para locomoção

Apesar do movimento tranquilo, condutores precisam manter cautela