Política

Após reunião com Lula, Pacheco critica taxa de juros

‘Houve o reconhecimento mútuo de que a taxa de juros no Brasil está muito alta’, disse o presidente do Senado

29/03/2023 12h12
Após reunião com Lula, Pacheco critica taxa de juros
Foto: TON MOLINA/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Após uma reunião com Lula, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), fez coro às criticas do petista à alta da taxa de juros empregada no país. A declaração do líder do Senado aumenta a pressão política sobre o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

“Houve o reconhecimento mútuo de que a taxa de juros no Brasil está muito alta e afirmei ao presidente a importância de encontrarmos caminhos sustentáveis para a redução da taxa o mais rápido possível”, disse Pacheco em nota.

Indicações para o Banco Central precisam passar pelo Senado. A Casa também precisa aprovar eventual exoneração de integrantes da autoridade monetária em caso de “desempenho insuficiente”.

O presidente do Senado se reuniu com Lula no Palácio da Alvorada nesta terça-feira (28). A conversa durou cerca de 2h30. Também participaram o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha (PT), e os líderes do governo no Congresso, Randolfe Rodrigues (Rede), e no Senado, Jaques Wagner (PT).

*Metro 1

Comentários

Leia também

Política
Pré-candidato à prefeito de Santo Estevão fala sobre renovação política e união da oposição

Pré-candidato à prefeito de Santo Estevão fala sobre renovação política e união da oposição

Tiago Dias mostrou-se confiante em enfrentar as máquinas municipal, estadual e federal....
Política
Senado aprova projeto que renova cotas raciais em concursos públicos

Senado aprova projeto que renova cotas raciais em concursos públicos

Texto precisa ser aprovado pelos deputados federais até junho
Política
CCJ do Senado aprova castração química voluntária para reincidentes em crimes sexuais

CCJ do Senado aprova castração química voluntária para reincidentes em crimes sexuais

Projeto não irá para o Plenário, seguindo apenas para a Câmara dos Deputados