Política

Aliados defendem que Bolsonaro fique fora das eleições de 2026

O plano é convencer Bolsonaro a se transformar numa espécie de “Fernando Henrique Cardoso da direita”, ou “um estadista” que tem prestígio e o poder de influenciar a escolha de candidatos de seu campo político

06/11/2022 07h27
Aliados defendem que Bolsonaro fique fora das eleições de 2026
Foto: Isac Nobréga/PR

Aliados defendem que o presidente Jair Bolsonaro (PL) fique fora das eleições de 2026 e abra espaço para outros nomes de direita. A informação é da colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com a publicação, o plano é convencê-lo a se transformar numa espécie de “Fernando Henrique Cardoso da direita”, ou “um estadista” que tem prestígio e o poder de influenciar a escolha de candidatos de seu campo político, mas sem entrar na disputa eleitoral. A diferença é que Bolsonaro é hoje muito mais popular do que FHC era quando deixou o governo, em 2002.

Seria preciso, portanto, convencer o presidente a abrir mão de disputar votos nas urnas, mesmo tendo grande chance de vencer. O governador eleito de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), é visto, pelos aliados de Bolsonaro, como uma opção da direita para a eleição de 2026. Mas tudo depende, claro, do desempenho dele na gestão estadual.

*Metro 1

Comentários

Leia também

Política
Colbert comenta sobre articulações políticas e busca por unidade em Feira

Colbert comenta sobre articulações políticas e busca por unidade em Feira

O prefeito destacou a importância da unidade para o crescimento da cidade.
Política
Pablo Roberto confirma convenção partidária para sábado (20) e afirma que até o momento mantém pré-candidatura

Pablo Roberto confirma convenção partidária para sábado (20) e afirma que até o momento mantém pré-candidatura

O pré-candidato se reuniu nesta quarta-feira com apoiadores e pré-candidatos a vereadores...
Política
STF prorroga até setembro prazo de suspensão da desoneração da folha

STF prorroga até setembro prazo de suspensão da desoneração da folha

Ministro Edson Fachin atendeu pedido do Senado e da Advocacia-Geral da União