Política

ACM Neto quer levar Uneb a Riachão do Jacuípe e buscar empresa para ocupar espaço de fábrica fechada

Pré-candidato a governador criticou situação do desemprego na Bahia e disse que “empresas foram embora” do estado nos últimos anos

18/06/2022 11h25
ACM Neto quer levar Uneb a Riachão do Jacuípe e buscar empresa para ocupar espaço de fábrica fechada
Foto: Divulgação ASCOM

O pré-candidato a governador ACM Neto (União Brasil) visitou Riachão do Jacuípe na última sexta-feira (17), onde escutou o pedido do prefeito Carlinhos Matos (União Brasil) para que, caso eleito, busque a abertura de uma extensão da Universidade Estadual da Bahia (Uneb) na cidade. O ex-prefeito de Salvador disse que já conhecia essa frustração dos jovens da Bacia do Jacuípe, que esperam há anos pelo campus, e comprometeu-se a buscá-lo.

“Onde a gente chega, encontra as pessoas se queixando da educação. Ouvimos aqui, há pouco, o pedido do prefeito e do seu vice (Felipe Sales). Eles, com total razão, desejam uma extensão da Uneb aqui em Riachão. Mas, será que essa turma que está no poder, que depois de 16 anos nos entrega a Bahia em último lugar na qualidade de ensino, tem alguma autoridade para se comprometer com o que quer que seja na educação? É claro que não”, disse ACM Neto em ato político na AABB.

“Então, vejam vocês, somos o estado líder de mortes violentas no Brasil e o último educação. Eis uma grave distorção que a Bahia vive hoje. Porém, é possível virar esse jogo. Mas não é com aqueles que estão aí há 16 anos. Para virar esse jogo, a gente tem que decidir mudar, buscar algo novo. Para a gente não só sonhar, mas transformar esse sonho de trazer a extensão da Uneb para Riachão, é preciso que sigamos juntos nessa luta até outubro”, completou.

Antes de ir a Riachão do Jacuípe, ACM Neto passou por Valente, onde também realizou ato político ao lado de um correligionário: o prefeito Ubaldino Amaral (União Brasil). O pré-candidato citou que muitos dos problemas que escutou em Riachão foram os mesmos de Valente. E que, na realidade, tem escutado com frequência desde o ano passado, quando começou o seu roteiro pelos municípios baianos no movimento Pela Bahia.

Em Valente, Neto também ouviu demandas sobre educação, saúde, segurança pública e emprego. Em Riachão, a situação é ainda mais grave, pois há um galpão, onde outrora funcionou uma fábrica de calçados, totalmente desativado, porém pronto para ser ocupado por outra empresa.

“A Bahia ocupa o primeiro lugar do Brasil em número de desempregados. E, quando a gente chega a Riachão, vê logo aquele galpão, que teve dinheiro público investido, fechado. Essa não é a realidade apenas daqui. Ela se repete em muitos lugares do nosso estado, porque nos últimos anos as empresas foram embora. Elas passaram a procurar outros destinos fora da Bahia”, disse Neto.

“Pois eu quero ser governador para dar as mãos aos prefeitos. Vamos rodar pelo Brasil ou vamos para fora do país, se for preciso, para trazer uma fábrica que ocupe aquele galpão e garanta empregos para Riachão do Jacuípe. E vamos olhar para o produtor rural. Riachão tem riqueza de água natural disponível, mas não tem trabalho do governo para levar essa água na ponta, para quem produz. Então, vamos estudar os barramentos necessários, algo que também será uma prioridade nossa”, completou.

*Agenda*
Neste sábado (18), a agenda de ACM Neto e Cacá Leão começa em Pé de Serra, ainda na Bacia do Jacuípe. Na sequência, eles percorrem três cidades da região do Sisal: Cansanção, Queimadas e Santaluz. No domingo (19), o compromisso será em Barrocas, também no Sisal.

Comentários

Leia também

Política
Tabata Amaral é nomeada para equipe de transição de Lula

Tabata Amaral é nomeada para equipe de transição de Lula

Nomeação da parlamentar para a equipe foi publicada no Diário Oficial da União de terça...
Política
Comissão aprova texto preliminar do Orçamento de 2023

Comissão aprova texto preliminar do Orçamento de 2023

Projeções de receitas e despesas totalizam R$ 5,2 trilhões
Política
PT, PV, PCdoB e PSB oficializam apoio à reeleição de Arthur Lira como presidente da Câmara

PT, PV, PCdoB e PSB oficializam apoio à reeleição de Arthur Lira como presidente da Câmara

A eleição para presidência da Casa será no início de fevereiro