Programa De Olho na Cidade

13/06/2019 - 00:32

Após 64 dias, UEFS aceita acordo e encerra greve

Apesar do fim da paralisação, negociação permanecerá entre professores e governo
Educação
Após 64 dias, UEFS aceita acordo e encerra greve
A greve das universidades estaduais acabou para as quatro instituições da Bahia. Na manhã desta quarta-feira (12), a Universidade do Estado da Bahia (Uneb) e a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) realizaram assembleia para votar o termo de acordo e decidiram voltar à atividade. À tarde, foi a vez da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) acatarem. As instituições estavam em paralisação desde o dia 9 de abril.
 
Apesar do acordo, o presidente da associação docente da Uesc, José Luiz de França explicou que oficialmente a greve só estará encerrada após a assinatura do termo de acordo, que deve acontecer na sexta-feira (14).
 
Embora professores e governo tenham chegado a um acordo, a diretora executiva da Associação dos Docentes da Uneb, Lílian Marinho disse que as negociação permanecem. "Saímos da greve, mas vamos manter o estado de mobilização, porque a luta vai continuar. Vai haver mesa de negociação permanente com o governo, vamos tentar dialogar em relação aos nossos direitos", explicou ao CORREIO.
 
Lilian disse ainda que, dos principais pontos, o que ainda está pendente é o salarial. "Não foi tudo acatado, mas ainda teremos negociações. Temos a questão do salário pendente, que o governo vai pagar em junho. A proposta deles é pagar o mês de maio junto com julho", disse.
 
Durante o programa Papo Correria, o governador Rui Costa comemorou o fim da greve. "Foi aprovado o fim da greve, fico feliz que tenhamos chegado a um entendimento. Assumimos o compromisso que, com o fim da greve, faríamos o pagamento integral de junho e em, no máximo, 72 horas, montaríamos a mesa de negociação para ver os pontos que faltam ser discutidos. Vamos esperar as outras assembleias para botar em prática aquilo que acordamos na ata da negociação", disse.
 
Com o fim da greve nas duas universidades, as aulas serão retomadas a partir de segunda-feira (17). A reposição das aulas perdidas será definida pelas próprias universidades, que têm autonomia para organizar seus calendários. O plano de reposição deve ser submetido à reitoria de cada instituição e à Secretaria da Administração do Estado (Saeb). 


Comentários

Leia também