Programa De Olho na Cidade

15/04/2019 - 07:18

Lulinha fala da deficiência na área de atendimento obstetrício e cobra assistência do Estado

De acordo com o edil é preciso a união da Secretaria de Saúde do Município e do Estado para resolver este grave problema
Feira de Santana
Lulinha fala da deficiência na área de atendimento obstetrício e cobra assistência do Estado
No uso da tribuna, na sessão ordinária desta quarta-feira (10), na Casa da Cidadania, o vereador Luiz Augusto de Jesus, Lulinha (DEM), abordou a deficiência na área de atendimento obstetrício no Município. “Praticamente só temos o Hospital da Mulher para atender Feira e região.  Lá já está superlotado. Fila de grávidas”, reclamou.
 
“O Hospital Inácia Pinto atendeu 3604 parturientes em janeiro, onde 892 ficaram internadas para dar à luz ; em fevereiro atendeu 3363 parturientes, onde 867 ficaram internadas para dar à luz e em março, 3780 mulheres foram atendidas, onde 976 ficaram internadas para dar à luz . Isso mostra que o hospital já chegou ao limite e está na hora do Estado voltar a disponibilizar unidades hospitalares para atender às gestantes e parturientes. O caso é gravíssimo.”, revelou Lulinha.
 
De acordo com o edil é preciso a união da Secretaria de Saúde do Município e do Estado para resolver este grave problema. “É preciso que o Clériston Andrade volte a realizar. Que sejam feitos convênios para realizar partos em outros hospitais”, cobrou.

Comentários

Leia também