Programa De Olho na Cidade

26/09/2018 - 08:55

História de clima saudável de Feira está ligada às lagoas, diz geógrafo

Feira e sua História
História de clima saudável de Feira está ligada às lagoas, diz geógrafo
Foto: Kleiton Costa

Kleiton Costa

Ao longo da sua história, Feira de Santana sempre atraiu muita gente por conta do seu clima, especialmente a temperatura amena durante a noite. Além de agradável, o ar da cidade também era considerado bom até para o tratamento de doenças respiratórias.

O geógrafo e pesquisador Marialvo Barreto relata que a umidade do ar em Feira de Santana sempre proporcionou um ambiente agradável às pessoas, espacialmente por conta do grande número de lagoas no município. Hoje, são 63 lagoas catalogadas, segundo o pesquisador.

“O clima de Feira é considerado bom por causa da umidade do ar acima de 50%. Quando está abaixo disso, respiramos mal. As lagoas regulam a umidade do ar e recebem as águas pluviais para evitar enchentes”, explicou Mariavo.

O geógrafo lamenta que, apesar da importância das lagoas, os mananciais têm sido dizimados, aos poucos. “A agressão urbana às lagoas é muito grande. A ocupação acontece em silêncio. As casas vão entrando na lagoa, lentamente”.

Segundo Marialvo, Feira já teve mais 80 lagoas, sendo que algumas já serviram para abastecer a cidade, até o final da década de 70, antes da construção da barragem Pedra do Cavalo. É o caso da Lagoa do Geladinho, que fica no Parque Erivaldo Cerqueira, e a Lagoa Grande.

“Algumas foram destruídas e outras estão em processo de destruição. Hoje a maior de todas é a ‘Pirrichi’, com quatro quilômetros, no distrito de Maria Quitéria. As mais agredidas são aquelas onde a cidade avançou, em direção à zona rural”, explicou Marialvo.

Comentários

Leia também