Programa De Olho na Cidade

21/06/2018 - 17:10

Brasileiros precisam entender que assédio não é brincadeira

Jorge Biancchi

Nos últimos dias, circularam nas redes sociais pelo menos dois vídeos com torcedores brasileiros na Copa do Mundo aproveitando das diferenças de idioma para submeter mulheres russas e até crianças a um constrangimento inaceitável.

No último caso, uma criança é forçada a repetir que é gay.

Essas coisas precisam ser apuradas porque estão repercutindo muito mal nas redes sociais. Mas, isso não vai comprometer a imagem do Brasil porque árvores ruins precisam ser eliminadas para que a floresta continue sendo saudável.

O torcedor brasileiro tem uma relação muito boa com os estrangeiros. Basta sair com a camisa do Brasil na Rússia que somos parados para fazer fotos, conversar e dar autógrafos. Isso é o que deve prevalecer. A nossa imagem não pode ser arranhada por esses brasileiros que estão confundindo brincadeira com assédio.

Esperamos providências por parte das autoridades russas e brasileiras. É preciso encontrar na legislação uma maneira de punir esses torcedores que estão confundindo as coisas. Vamos aguardar as providências e esperar que tudo seja colocado no seu devido lugar.

Uma coisa é brincadeira outra coisa é assédio sexual, que precisa ser punido.

Não podemos permitir que essas atitudes ruins comprometam a imagem do torcedor brasileiro, que é muito boa aqui no país da Copa.

Comentários

Leia também