Programa De Olho na Cidade

SECOM - BOTTON
16/11/2017 - 17:40

Forma de encarar diagnóstico do câncer de pênis faz diferença no tratamento, diz psicólogo

Jailson Borges Júnior diz como portador da doença pode se sentir menos inseguro e vulnerável. Quase 50% dos pacientes desenvolvem algum transtorno psiquiátrico.
Novembro Azul
 Forma de encarar diagnóstico do câncer de pênis faz diferença no tratamento, diz psicólogo
Apoio da família é fundamental para auxiliar no tratamento do câncer de pênis (Foto: Reprodução)
Taiuri Reis
 
O diagnóstico do câncer de pênis não é mais uma sentença de morte. A descoberta prematura e o tratamento eficiente, aliados ao apoio familiar, aumentam, cada vez mais, a chance de cura. A observação é feita pelo psicólogo Jailson Borges Júnior, da clínica Senhor do Bonfim.
 
"Ao receber o diagnóstico, o paciente normalmente reage com negação. Essa negação leva-o à não aderir as orientações médicas, ocasionando no declínio da saúde. É aí que a família é convidada para auxiliar no tratamento, amenizando as emoções negativas, principalmente, a depressão", explicou o médico, em entrevista ao De Olho na Cidade (Sociedade de Feira 970 AM).
 
Embora estima-se que a incidência seja muito menor do que o da próstata, Jailson Jr. alerta que o câncer de pênis exige, muitas vezes, a amputação do órgão sexual.
 
"Por se tratar do pênis, logo, estará associado a vida sexual do paciente, o que requer um cuidado ainda maior por envolver diferentes aspectos físicos e psicológicos", alerta.

Comentários

Leia também