Programa De Olho na Cidade

14/11/2017 - 13:01

PF cumpre mandado de busca na Embasa para investigar crime ambiental

Polícia
PF cumpre mandado de busca na Embasa para investigar crime ambiental
A Polícia Federal (PF) cumpre, na manhã desta terça-feira (14), cinco mandados de busca e apreensão com o objetivo de apreender documentos relativos a uma investigação sobre crime ambiental em Salvador.
 
Três mandados são cumpridos em Salvador, um deles na sede da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), no Centro Administrativo da Bahia (CAB). Um carro da PF estava no local por volta das 10h50.
 
Em nota, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) informou que a operação da PF foi destinada à busca e apreensão de documentos e informações sobre a operação da Estação de Condicionamento Prévio (ECP) do Rio Vermelho, em março de 2016, quando o funcionamento da ECP foi temporariamente comprometido devido a um acidente de trânsito.
 
Segundo a Embasa, na época, um ônibus bateu em um poste da rede elétrica que atende a estação de tratamento operada pela Embasa e, com isso, causou uma parada no sistema de bombeamento.
 
Outros dois mandados são cumpridos em Salvador, um na cidade de São Paulo e outro no Rio de Janeiro. Estes mandados são cumpridos em empresas supostamente responsáveis pela manutenção da bomba, mas não foram detalhados pela PF os endereços e quais os alvos.
 
Investigação
 
Segundo a PF, as investigações constataram o lançamento de esgoto sanitário, através de emissário submarino, sem o cumprimento das etapas necessárias para minimizar o impacto ambiental dos dejetos do efluente nas águas oceânicas.
 
Uma perícia realizada na Embasa comprovou que a bomba responsável por fazer a elevação do efluente, de modo a permitir o escoamento, por gravidade, para as demais etapas do condicionamento do esgoto para lançamento do emissário submarino estava inoperante, o que inviabilizava que o efluente passasse pelos processos obrigatórios de peneiramento.
 
Com isso, segundo a PF, o esgoto era lançado no oceano sem o devido tratamento. Diante disso, foram solicitados os documentos relativos à manutenção da bomba, mas a empresa de saneamento se recusou apresentar à Polícia Federal, sob a alegação de “não ser obrigada a produzir prova contra si mesma”.
 
Por conta disso, foram solicitados e determinados pela 17ª Vara Federal os mandados de busca e apreensão. Em nota, a Embasa informou que a diretoria executiva da empresa se colocou à inteira disposição dos agentes da Polícia Federal durante a operação.
 
Além da investigação pelo crime ambiental (artigos 54 e 60 da Lei 9.605/98), foi instaurado inquérito próprio para apuração dos crimes de prevaricação (artigo 319, CP) ou desobediência (artigo 330, CP), em razão da recusa do responsável pela empresa em apresentar a documentação requisitada pela Polícia Federal.
 
As informações são do G1 Bahia.

Comentários

Leia também