Programa De Olho na Cidade

03/11/2017 - 12:26

Trump ameaça Estado islâmico e diz que grupo pagará por ataques

Mundo
O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, advertiu nesta sexta-feira (3) que o Estado Islâmico (EI) pagará alto preço por seus ataques contra o país. O alerta foi feito depois que o grupo terrorista afirmou que o suposto autor do atentado de terça-feira (31), em Nova York, é um de seus "soldados". A informação é da Agência EFE.
 
Em uma série de tweets, Trump reagiu à manifestação do EI, feita no último número da revista semanal pela internet Al Naba. O presidente chamou de "animal degenerado" o suspeito do atentado, o imigrante uzbeque Sayfullo Saipov, de 29 anos, que se encontra detido.
 
Segundo Trump, as Forças Armadas americanas bateram no Estado Islâmico "muito mais duro" nos últimos dois dias. "Eles [os terroristas do EI] pagarão alto preço por cada ataque contra nós", afirmou o presidente.
 
Pouco depois, ao sair da Casa Branca para viajar ao Havaí, de onde iniciará neste sábado (4) uma longa excursão pela Ásia, Trump reiterou aos jornalistas que, a cada vez que houver um ataque do Estado islâmico nos EUA, seu governo se lançará contra o grupo terrorista "dez vezes mais forte".
 
O atentado de Nova York, um atropelamento múltiplo que deixou oito mortos e 12 feridos, não foi reivindicado pelo EI por meio de comunicados oficiais ou de notas na agência Amaq, vinculada aos jihadistas, como costuma ser habitual no grupo.
 
Uma coluna de Al Naba relatou o atentado de Nova York, citando informações de meios de comunicação e sem servir-se de nenhuma fonte interna do grupo terrorista, como é usual quando reivindica atentados cometidos no exterior.
 
As autoridades americanas acreditam que Saipov atuou sozinho, inspirado pela propaganda do Estado Islâmico, embora as investigações continuem para descobrir seu passado e os contatos anteriores.
 
O terrorista compareceu perante uma juíza na quarta-feira (1º), mas a acusação formal será anunciada possivelmente em uma segunda audiência marcada para 15 de novembro.
 
Trump pediu a pena de morte para Saipov e, embora em um primeiro momento tenha dito que consideraria mandá-lo à prisão de Guantánamo (Cuba), voltou atrás ao admitir as complicações e a lentidão desse processo.
 
Agência Brasil

Comentários

Leia também