Programa De Olho na Cidade

14/09/2017 - 17:42

Trajetória: educadora lembra das vitórias de quase 50 anos em Feira

Feira e sua História
Trajetória: educadora lembra das vitórias de quase 50 anos em Feira
Professora Enedite Braz em evento comemorativo aos 45 anos da Escola João Paulo I. Foto: Kleiton Costa

Kleiton Costa

Morando em Feira há quase 50 anos, a professora Enedite Bráz tem muita história para contar. Ela é fundadora da Escola João Paulo I, uma das mais antigas da rede particular da cidade, e tem uma enorme gratidão pelo que construiu no solo feirense.

Enedite é natural do município de Baixa Grande e chegou a Feira aos 12 anos com a sêde de quem queria crescer nos caminhos do aprendizado. De família simples, da roça, a menina veio para Feira de Santana para fazer o temido exame admisional para ingressar no antigo Colégio Santanópolis.

“Após concluir o curso primário, uma professora dizia ao meu pai: ‘essa menina é inteligente, tem que continuar estudando’”, contou Enedite.

Após a aprovação no exame, Enedite teve uma conversa franca com os pais e colocou como condição para deixar Baixa Grande que eles mudassem com ela para Feira.

“Mamãe conseguiu trazer dez estudantes. Ela sempre foi dona de casa e não foi difícil juntar todos para ajudar nas despesas”, disse Enedite, ao lembrar do primeiro imóvel alugado por ela e pela mãe no bairro Ponto Central.

A Escola João Paulo I

A Escola João Paulo I, que completou 45 anos de fundação, começou a partir da formatura de Enedite em Magistério no ano de 1963.  “A educação sempre esteve no meu coração e na minha cabeça. Sempre busquei minha indepedência. Ia para a casa das famílias e comecei a dar banca. Comecei no boca a boca e logo estava com dez a quinze alunos. Antes de formar, já tinha 36 alunos. Aí tive que arranjar uma professora para me ajudar”, explicou Enedite.

Com a grande procura pela pró Enedite, veio a necessidade de um espaço maior. Surgiu a “Escola Meu Doce Lar”. Em uma casa alugada, ela começou com 64 alunos, sendo professora em uma das turmas. Os primeiros alunos de Enedite foram moradores do bairro Kalilândia.

Com o passar dos anos, a escola passou a ser chamada João Paulo I (EJPI) e experimentou um grande crescimento. “Eu sempre desejei fazer um bom trabalho. A prosperidade da escola veio da benção de Deus”, disse a professora. Hoje a instituição de ensino tem 1.300 alunos e 180 funcionários.

Ao celebrar as vitórias, Enedite disse ser grata a Feira de Santana. “Feira é a minha segunda terra natal. Feira e Baixa Grande foi uma mistura que deu muito certo. Fui acolhida e só recebo abraços carinhosos e palavras de incentivo”.

Comentários

Leia também