Programa De Olho na Cidade

01/06/2017 - 18:04

Imprensa está exercendo papel fiscalizador na cobertura da crise política, dizem jornalistas

Reportagens Especiais
Imprensa está exercendo papel fiscalizador na cobertura da crise política, dizem jornalistas
Professor Andrews Pedra Branca considera que a cobertura política tem sido superficial. Foto: Kleiton Costa

Kleiton Costa

As empresas jornalísticas estão exercendo um papel de fiscal na cobertura da crise política brasileira na avaliação de jornalistas feirenses que participaram do Jornal do Meio Dia (Princesa FM) nesta quinta-feira (1º), Dia Nacional da Imprensa.

Apesar de reconhecer a importância da atuação da imprensa no relato dos episódios políticos, o jornalista e professor Andrews Pedra Branca acredita que a cobertura jornalística está deixando a desejar.

“O papel que a imprensa vem desempenhando se insere em um cenário de escândalo político midiático. Ela passou a dar mais espaço para esses escândalos. A imprensa se faz presente na sociedade, tendo um papel de fiscal, de estar sempre acompanhando as instituições”, avaliou Andrews, acrescentando que considera superficial o noticiário político atual.


Jornalista Glauco Wanderley

O jornalista Glauco Wanderley, que costuma fazer avaliações e matérias sobre o cenário da política local e regional em Feira de Santana, considera fundamental o papel da imprensa de denunciar os problemas que envolvem o mundo político. “Esse é o papel da imprensa. Ela faz esse papel cada melhor”.

Glauco condena as críticas de militantes partidários que insistem em acusar jornalistas de usar interesses políticos no exercício do jornalismo.

“A imprensa é constituída por empresas. Mas ela é formada pelas pessoas que não estão a serviço de grupo A ou B. São pessoas que produzem informação com responsabilidade. Estou cansado dos discursos de direita e de esquerda. O nosso negócio é, essencialmente, levar informação com credibilidade”, concluiu Gauco.

Comentários

Leia também