Programa De Olho na Cidade

19/05/2017 - 10:28

Temer tenta desconstruir denúncia

Jorge Biancchi

O presidente Michel Temer, em seu discurso após a repercussão da denúncia de que ele tentou comprar o silêncio do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, fez um pronunciamento dizendo que não renunciará e que vai provar a sua inocência no Supremo Tribunal Federal (STF).

O governo tenta desconstruir a denúncia feita pelo representante da JBS e se apega em dados que foram divulgados e não foram revelados nos áudios.

A denúncia de que o empresário da JBS, Joesley Batista, teria assumido pagar R$ 500 mil por semana não apareceu no áudio revelado na grande mídia com autorização do STF. O governo se apega também ao detalhe de que a ajuda que o presidente teria prometido à empresa não apareceu no áudio. Não sabemos se isso foi transcrito pela Polícia Federal, mas no áudio que foi apresentado não apareceu. Vários trechos foram citados como inaudíveis, ou seja, sem qualidade de áudio.

Os detalhes alegados pelo presidente não retiram a gravidade da denúncia. Outros fatos revelam a gravidade de tudo o que foi colocado na mídia. O que Temer estaria tratando com um dos donos da JBS que está sendo investigado pela operação Lava Jato? Um encontro que inclusive não estava na agenda presidencial. E as imagens feitas de dinheiro sendo entregue a representante de Eduardo Cunha e pessoas de confiança do presidente Michel Temer? A mesma situação se aplica ao senador Aécio Neves, contra o qual as provas são muito mais contundentes.

Querer amenizar a crise é o papel do governo, mas tapar o sol com a peneira é algo praticamente impossível de acontecer. As denúncias são graves e o governo dificilmente se sustentará depois de tudo o que tem sido divulgado na imprensa. A população começa se manifestar. Várias capitais já realizaram protestos e nos próximos dias essas manifestações tendem a aumentar. A situação do governo é mesmo insustentável. 

Comentários

Leia também