Programa De Olho na Cidade

20/10/2015 - 17:54

Uso de tecnologia entre crianças exige acompanhamento, orienta pedagoga

Principal risco é a exposição exagerada com as redes sociais.
De Olho nas Crianças
Uso de tecnologia entre crianças exige acompanhamento, orienta pedagoga

Cada vez mais inseridas e fissuradas pelo mundo digital, as crianças devem ser acompanhadas no uso de equipamentos como tabletes e smartphones. A principal preocupação deve ser o acesso às redes sociais e a conseqüente exposição que elas promovem, orienta a pedagoga Elisângela Freitas, diretora de tecnologia da Escola João Paulo I, em Feira de Santana.

“É preocupante, principalmente se não houver o acompanhamento dos pais e a orientação sobre como os filhos devem usar esses recursos. As crianças não têm muita noção dos males que isso pode causar”, explicou Elisângela.

A pedagoga reconhece que as ferramentas tecnológicas têm os seus benefícios como a diversão proporcionada às crianças e aos adolescentes e o auxílio às pesquisas escolares, mas quando passam a ser usadas com acesso livre à internet o cuidado deve ser redobrado.

“É importante que as crianças não usem sozinhas, principalmente por causa dos sites e vídeos não apropriados para as idades delas”, disse Elisângela.

Quando se trata de redes sociais, o principal risco é a exposição da intimidade. É o caso do WhatsApp. “É um dos recursos mais usados e mais perigosos. Uma criança ou um adolescente menor de 16 anos não deveria usar, mas não é isso que acontece. Não aconselho que os filhos tenham acesso. Deve-se ter um cuidado maior com fotografias que expõe bebês nus. É um tipo de foto que pode atrair os pedófilos, mas tem o lado bom de compartilhar os momentos bons com as famílias”, concluiu a pedagoga, salientando que essa imagens podem ser compartilhada de forma restrita aos parentes mais próximos - os próprios aplicativos oferece algumas ferramentas para restringir esse acesso.

Kleiton Costa

Comentários

Leia também