Programa De Olho na Cidade

14/08/2015 - 17:27

Incentivo à leitura na criança é mais que um gesto paternal

A reportagem faz a série: "Dia dos pais, dia do meu melhor amigo", nos programas Jornal do Meio Dia (Princesa FM) e De Olho na Cidade (Sociedade AM).
Dia dos Pais
Incentivo à leitura na criança é mais que um gesto paternal
Os benefícios do incentivo à leitura no desenvolvimento das crianças é o tema desta sexta-feira (14) do projeto "Dia dos Pais, Dia do Meu Melhor Amigo", dos programas Jornal do Meio Dia (Princesa FM) e De Olho na Cidade (Sociedade AM).
 
Mais que um gesto paternal de carinho, é uma postura inteligente diante das demandas frenéticas do dia-a-dia. Maria Helena da Rocha Besnosik, que é membro do Departamento de Educação e Filosofia da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), ressaltou o poder que os pais têm em construir leitores.
 
"A medida que nós, pais, somos vistos com exemplos para nossos filhos, eles se sentem estimulados à leitura", afirmou. 
 
"Para formarmos leitores precisamos, cada vez mais, estimular as crianças ao hábito da leitura. Comprar livros, sentar antes de dormir para ler uma história, ajuda muito no interesse deles", completou.  
 
Ela ainda pontua que esse é um trabalho que envolve paciência, principalmente por algumas crianças não entenderem a sua importância.
 
O empresário Alberto Aroldo Santos, conta que começou a ler muito cedo. "Eu ainda estava nos meus primeiros anos de estudo e sempre ia à biblioteca. "Hoje eu tenho a leitura quase como uma compulsão. Leio em média 60 livros por ano. Minha meta é atingir 100", revela. 
 
 
Alberto diz que sempre buscou contar histórias para suas filhas desde cedo com livros de histórias, ilustrados com desenhos e formas . "Esse tipo de livro chama atenção delas. Aos poucos ia mudando a leitura, adaptando a idade de cada uma, mas sempre incentivando-as a ter o gosto e a curiosidade em ler". 
 
Ele completa que começou lendo revistas em quadrinhos, passando por Moteiro Lobato. "Na minha época não tinha internet, eramos obrigados a recorrer aos livros para pesquisar. Foi um processo natural", completa. 
 
A quantidade de livros que existem na casa do empresário também foi um fator essencial para a influência nas crianças. "Lá em casa tem muitos livros, então foi muito fácil. Foi um processo natural de leitura. Por eu sempre ler, o hábito delas se tornou natural, não forçado. O tempo está ali basta o pai querer utilizá-lo para estar com seus filhos". 
 
De acordo com o professor Rodrigo Moreira, do curso de Engenharia Civil, da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC)  a receita é começar a leitura logo cedo.
 
"A leitura ajuda o vocabulário e no futuro, quando essas crianças forem profissionais, com certeza irão ser gratas por essa base dada pelos pais". 
 

Comentários

Leia também