Programa De Olho na Cidade

30/07/2013 - 12:24

Francisco deixa legado de amor, diz jovem que discursou para o Papa

Valmir Júnior acredita que a sociedade será mais consciente na relação com os dependentes químicos.
Jornada Mundial da Juventude
Francisco deixa legado de amor, diz jovem que discursou para o Papa
Valmir abraça o Papa após discurso emocionado. Foto: Jornal do Brasil
O professor carioca Valmir Júnior, que discursou para o papa em um evento no Rio de Janeiro, enxerga novos horizontes para a missão dos jovens católicos a partir da Jornada Mundial da Juventude. Para ele, o contato com o Papa Francisco proporcionou esperança aos brasileiros e ao mundo.   
 
Com 28 anos, Valmir é integrante da Pastoral da Juventude no Rio e se envolveu com drogas na favela da Mará, em Marcílio Dias, no Rio de Janeiro. Venceu a luta contra as drogas e se formou como professor de História pela PUC, através de uma bolsa de estudos.
 
Diante dos pronunciamentos do Papa na visita ao Brasil, Valmir disse acreditar que uma consciência foi despertada na sociedade na relação ao uso de drogas entre os jovens.
 
“A JMJ mostrou para a sociedade o que devemos fazer: não excluir. O Papa deixa uma experiência de amor, de caridade e justiça social. O legado social da jornada provoca a possibilidade de pensar nesse jovem drogado como cidadão, como qualquer um de nós”, afirmou Valmir, em entrevista aos radialistas Jorge Biancchi e Lurdes Rocha.
 
Durante participação na JMJ, o papa fez a doação de dois cheques de R$ 60 mil, sendo um para uso comunitário na favela de Varginha e outro para o Hospital São Francisco, onde está sendo implantado um centro para tratamento de dependentes químicos.
 
“Isso proporcionou para todos uma grande esperança. É a esperança da construção da civilização do amor. Os jovens estão trabalhando para transformar a sociedade”, disse Valmir.
 
O discurso de Valmir foi feito em uma solenidade que reuniu lideranças da sociedade civil, no último sábado (27), no Teatro Municipal do rio de Janeiro. Órfão de pai e mãe, Valmir deu um testemunho de sua luta contra as drogas e foi abraçado pelo papa.
 
“A única coisa que proporciona a felicidade é uma vida livre, sem dependência. Quando o jovem se prende a uma substância química ele perde a liberdade”, declarou Valmir.
 
Kleiton Costa, com informações de Jorge Biancchi e Lurdes Rocha.

Comentários

Leia também