Programa De Olho na Cidade

16/09/2011 - 10:35

BR 324 teve quase 1.500 acidentes em apenas oito meses

Os números foram apresentados em uma sessão especial que reuniu profissionais da imprensa na Câmara Municipal de Feira de Santana.
Feira de Santana
BR 324 teve quase 1.500 acidentes em apenas oito meses
Sessão reuniu radialistas e jornalistas para debate sobre desenvolvimento de Feira.

A Câmara de Feira de Santana realizou, ontem (15), uma sessão especial em que profissionais de imprensa foram os palestrantes. Radialistas e jornalistas falaram sobre problemas que travam o desenvolvimento do município. A sessão foi convocada por requerimento do vereador Justiniano França (DEM). O presidente da Casa, Antônio Francisco NetoRibeiro (DEM), comandou os trabalhos. Diversas autoridades estiveram presentes.

O jornalista Marcílio Costa, gerente de jornalismo da TV Subaé, apresentou, durante a sessão especial que debateu questões relacionadas ao desenvolvimento de Feira de Santana, números sobre as BRs federais sob responsabilidade da Viabahia. Marcílio concentrou-se nas estatísticas dos acidentes registrados nas rodovias, com base em dados obtidos junto à Polícia Rodoviária Federal.

Segundo os números, no período de janeiro a agosto deste ano, foram registrados quase dois mil acidentes na região. Foram 1.978, precisamente, com 915 feridos e 72 mortes. A Via Bahia também tem estatística de acidentes por trechos, mas atualizado até julho. Entre Feira e Santo Estevão, rodovia de ligação entre o Sul e Nordeste, foram 138 acidentes, 71 feridos e 5 mortes.

Na BR 324, entre Feira e Salvador, de janeiro até 25 de agosto, foram 1.485 acidentes, com 681 feridos e 49 mortes. O trecho entre Feira e Amélia Rodrigues responde por 436 acidentes desse total, com 160 feridos e 14 mortos. O anel rodoviário de Feira de Santana registrou, em 2010, um total de 510 acidentes, com 318 feridos e 27 mortos. Este ano, até o começo de julho, foram 355 acidentes, com 169 feridos e 18 mortos

O radialista Juarez Fernandes, da Rádio Povo AM, abordou problemas relacionados à Viabahia, responsável pela gestão das rodovias federais BR 324 e 116 Sul. Ele lamentou a ausência de representantes do consórcio, que implantou o pedágio nessas estradas. Observou que este é o terceiro convite feito pela Câmara à Viabahia para debater problemas de interesse da sociedade e a empresa não envia nenhum preposto. “Talvez não houvesse mesmo nada a apresentar, diante dos muitos problemas das BRs 116 Sul e 324. Faz pouco caso e debocha da discussão de temas importantes relacionados às rodovias”.

Segundo ele, os baianos não têm informações sobre o contrato firmado entre a União e a Viabahia. “É um contrato ao qual não temos acesso”. Para Fernandes, resta um caminho: ingressar com ação no Ministério Público Estadual e Federal pedindo a suspensão da cobrança de pedágio enquanto não sejam efetuados investimentos na melhoria concreta dessas estradas. “É a sugestão que deixo para o deputado Targino Machado e os vereadores presentes.

FONTE: Kleiton Costa, com informações da Ascom/ Câmara

Comentários

Leia também